Os Núcleos da Terra

Desde 2005 que o sr. Keshe vem publicando sua teoria de que o planeta Terra e todo planeta com força gravitacional própria possui dois núcleos separados em seu interior.

Com a publicação da Revista Nature, ngeo2354-s1, de 9 de fevereiro de 2015, isto foi confirmado por outros cientistas geofísicos. Com a descoberta, a até então considerada esfera sólida de ferro no centro do planeta passou a ser uma estrutura de quatro camadas até chegar à costa.

Na época, o sr. Keshe batizou este núcleo mais central encoberto pela camada de ferro com o nome de núcleo Carolina. Este é o núcleo ativo e dinâmcio mais interno do planeta, as vezes apenas chamado de núcleo interino. A camada de ferro que o circunda e o confina, isolando-o totalmetne do outro núcleo, é chamada de núcleo interior maciço do planeta. Além e e acima do núcleo interior maciço está o núcleo exterior, cuja parte mais peiférica chamamos de magma ou manto planetário. Acima deles está a crosta, que é a camada de rochas que faz o isolamento entre os núcleos e a superfície planetária, isolamento este as vezes muito raramente rompido pela eclosão de uma erupção vulcânica a partir de um vulcão ativo, ou, numa outra modalidade, através dos gêiseres que emanam a partir de zonas de gases ao nível de solo, na superfície do planeta.
Aprofundando sua teoria, o Sr. Keshe tem explicado que, no início, a convecção do magma e outras camadas circulantes no núcleo exterior produziu o campo magnético do planeta, chamado de força magnética passiva e que se estende até os limites da magnetosfera e protege o planeta dos raios e labaredas solares. A mesma convecção que produziu este campo magnético fez, no início dos tempos, girar o núcleo interior maciço de ferro, e este giro produziu o campo magnético do núcleo interno, Carolina. Este campo foi o responsável pela força gravitacional do planeta. A interação entre os dois campos, que se deu dentro da camada intermediária de ferro do núcleo interior maciço acabou definindo que a força gravitacional do planeta se extenderia por por alguns milhares de quilômetros acima da superfície, e isto criou a zona atmosférica do planeta, aonde a força gravitacional serviu para criar a camada de rochas da crosta e toda a vida na Terra, tendo a sua operação principal de manter os corpos de superfície sobre a superfície planetária. Esta força é chamada de força de gravidade.
O sr. Keshe, até mesmo em suas palestras, sempre explica que isto é uma característica de todo planeta que possui força gravitacional própria, e que tem sua representação elementar na operação dos ímãs, onde a junção de polos iguais se repelem, representando a força magnética passiva, e a junção de polos diferentes se atraem, representando a força gravitacional. Nos ímãs, tal como nos planetas, os mesmos materiais produzem as duas forças ao mesmo tempo, variando apenas a forma de interação entre eles.

menu

Mehran Keshe Foundation KFSSI applications aplicações