Aula 5 parte 3

RETORNAR À PARTE 2 DA AULA 5

AVANÇAR À PARTE 1 DA AULA 6

COMEÇAR DO INÍCIO – AULA 1

ESTA É A PARTE 3 DA AULA 5:

(postada em 18 de setembro/2017)

00b professor M.T.Keshe

TEMA PRINCIPAL

  O MANUAL DO M.P. E A DETECÇÃO DO FASE DA REDE

NOVOS ESPAÇOS NA FUNDAÇÃO E NOVAS FÁBRICAS

TRATADOS DE PAZ E FIM DE ASSASSINATOS DE CIENTISTAS

GRAVITACIONAL E MAGNÉTICO – ENROLAMENTOS E FLUXOS

LOOP  ENTRE  PLASMAS – TWINITY

NANO MATERIAL HEMOGLOBINA VERMELHA

EMOÇÕES E CONTROLE DA SENSAÇÃO TÉRMICA CORPORAL

 

Para aqueles à quem estão sendo despachados os MPs previamente encomendados, peço que ao receberem, enviem-nos um e-mail avisando-nos que chegou. E ao abrirem o pacote, procurem ler o manual que vem junto. Entre outras coisas este manual avisa para vocês não sobrecarregarem o MP além dos 2 kW de limite de carga. E se você vem acompanhando as aulas, sabe que não deve atingir este limite logo na primeira vez que liga o MP, mas deve ir acostumando o Sistema aos poucos. O manual também traz um link de Internet onde você poderá acessar os esquemas do Blueprint, e por eles você pode saber como fazer as conexões/ligações corretas do seu dispositivo na rede. O principal é que antes de tudo você use aquela chave testadora que vem junto no pacote, e teste os dois pontos da tomada aonde vai ligar seu MP e descubra qual o ponto fase e qual o neutro, e quando for usar a tomada macho que sai do MP para a ligação na tomada, cuide de compatibilizar fase com fase, e neutro com neutro, pois você está recebendo um dispositivo que internamente trabalha com corrente contínua e portanto tem um positivo (fase) e um negativo (neutro), que deve ser respeitado na hora de ligar, tanto faz se na tomada residencial ou na bateria de um automóvel.
Mudando de assunto, recentemente criamos novos espaços de trabalho aqui: este centro de ensino (este auditório, onde são ministradas as lições) permanece o mesmo, e criamos um espaço de pesquisa e desenvolvimento, no andar de cima, e criamos uma fábrica também, num galpão, para as produções da própria FK. E com isso criamos algumas regras: O aceso à este auditório aqui é sempre mais fácil, e uma visita à fábrica pode até ser agendada, desde que avisem antes, se identifiquem antes, para a devida recepção. Mas o centro de pesquisa e desenvolvimento está mais restrito o acesso, pois lá não é nenhum parque. Com toda a equipe, já são quase 100 pessoas ao todo trabalhando aqui na FK nestes três espaços, e todos estão trabalhando muito, seja para desenvolver, para ensinar online, para produzir unidades, e para entregar os pedidos.
RICK:
Estão perguntando aqui se você tem recursos financeiros suficientes para produzir todas estas Unidades que está prometendo enviar, para doar e para vender.
KESHE:
Existem mais de 7 milhões de desempregados na Itália, e estamos aproveitando italianos inteligentes que saibam reconhecer o potencial de distribuição destas unidades pelo mundo.

RICK:
E haverá outro modelo (versão 2) do MP, vindo a partir das Filipinas?

KESHE:
Sim, vai ter uma versão 2 (e outras) e estamos organizando tudo. Na Alemanha, nos EUA, no Japão, logo vão começar a produzir MPs em quantidade. E o nosso maior desafio é implantar fábricas na Índia, pois há muitos KS por lá, que estão prontos para dar o próximo passo. Na Itália, as fábricas estão instaladas e se expandindo rapidamente, e estão todos entusiasmados com expandir suas produções. Na verdade, qualquer um pode definir suas próprias ações locais de produção, mas a estrutura fabril deve se estender para ajudar o povo mais carente e, quando isto for possível, ter também o aval dos governantes da nação. Na Itália temos uma equipe muito boa, unida, e com o mesmo código de ética, segundo o qual, aqueles que pretendem nos roubar, estarão na verdade roubando a si próprios em termos de consciência e de evolução para a paz. Para não quebrar o código de ética você tem que trabalhar com aquela natureza da FK, que é compartilhar incondicionalmente. Não vá tentando patentear. Patentear é muito fácil, a Agência de Patentes pode dar-lhe a patente, mas ao descobrirmos que ela existe, enviaremos provas de que este material já está no mercado há anos, e você perderá sua concessão, e vai ter pago tanto dinheiro para nada. Nós não aceitamos patentes da tecnologia.
RICK:
Há um tipo de pergunta-comentário aqui. Mais ou menos isso: Quando pudermos construir o real poder mag-grav NO SISTEMA, vai ser o Caos (para a sociedade…), mas quando o MP tiver um plug-in para sustento alimentar, e outro para suprimento de água para o corpo, então… A pessoa que disse isso parece esperar pelo Caos.
KESHE:
Querem o Caos? Não querem, acaso, ser felizes?
RICK:
Veja só: eles têm expectativas de Caos, para quando mudar o modo de obter comida e água, mas não acham que as manipulações que fazem a TV e os jogos sobre suas mentes sejam um tipo de Caos bem avançado…
KESHE: Sim, é mais ou menos como ir para a Lua, constatar que o que há na Lua não é bom o suficiente, cancelar toda investigação na Lua e passar a priorizar idas à Marte.
RICK:
Mais ou menos isso, mas é essa busca que os mantém em pé, pois a grama parece sempre mais verde quando está do outro lado da colina.
KESHE:
Reafirmo que 90% do que está em andamento na FK e dos experimentos e desenvolvimentos novos ao redor do mundo são devido à essa mesma sede por novas descobertas. Alguém dediciu fazer algo, fez, compartilhou com os outros, e outros viram aquilo, e juntaram com outras ideias, e fizeram de novo, mas de modo diferente. E isso tem se acumulado.
Muito obrigado, Rick Crammond, por todas as coisas que você fez para a Fundação Keshe!
RICK:
De nada, Sr. Keshe. Eu apenas decidi tempos atrás que isto necessitava ser feito. Naquela época eu me fiz a seguinte pergunta: Se não for eu, então quem vai ser? E se não for para ser agora, então será para quando? E foi assim que meu voluntariado à FK começou, já faz alguns anos. E temos o que temos, até agora, porque fizemos isto juntos.
Muito obrigado também, Sr. Keshe, por todos os seus esforços, e me digo para mim mesmo o tempo inteiro: isto que estamos fazendo juntos é algo realmente incrível!
KESHE:
Talvez eu tenha algumas surpresas para vocês todos amanhã. Vai depender dos trâmites e relatórios que a FK está trocando com alguns chefes de nações do mundo. Mas só podemos divulgar depois de chegarmos a acordos concretos. O importante é que, com quaisquer acordos que fizermos, avanços para a paz mundial sejam conquistados. Pequenas conquistas podem, às vezes, trazer grandes avanços.
HOMEM:
[Pergunta sobre se os países já pararam de matar cientistas nucleares iranianos.]
KESHE:
Não sei lhe dizer. Durante os últimos 7 a 8 anos, o governo iraniano fez tudo para proteger os cientistas que restaram. Quanto a mim, me lancei nas mãos das pessoas, e não dos governos, para me protegerem. Não foi divulgada sequer uma só nota oficial por parte do governo iraniano sobre a minha contribuição tecnológica para eles, porque eles sabem que nossas vidas corriam perigo, então faz parte do código de ética deles ficarem quietos. Talvez alguns dos oficiais saibam que contribuiram indiretamente para a forma sábia de divulgação que fizemos e estamos fazendo desta tecnologia para o mundo. Foi necessário muita bravura, muito trabalho. para poder levar essa tecnologia de plasma ao tamanho e a envegadura que ela atingiu até esse momento. Mas é certo que um monte de físicos nucleares iranianos estão fazendo falta no mundo hoje, e embora tenhamos lutado para os poderosos pararem com os assassinatos destes cientistas, não tenho visto particularmente muitas mudanças neste sentido, pelo menos nas últimas semanas. Perdi bons amigos da indústria nuclear iraniana por conta destes ataques e, nos últimos dias, perdi mais um. É vergonhoso ter que comentar estas coisas, mas agora o tempo da virada chegou.
[KESHE e RICK então passam a tecer comentários sobre um novo primeiro ministro do Canadá e suas políticas e intenções, e possibilidades quanto a tecnologia Keshe ser mais aceita no Canadá].
KESHE:
Espero que vocês do Canadá se tornem uma nação ainda mais pacífica.
RICK:
Se pudermos fazer os nossos mais soberanos governantes assinarem o Tratado de Paz da Fundação Keshe, isso seria excelente.
RICK:
Alguns dos nossos KS estão dizendo-me que ainda se sentem confusos sobre o gravitacional e o magnético, e como diferenciar estes campos. Penso que se referem aos enrolamentos, já que eles perguntam se gravitacional é no sentido horário e magnético é no sentido anti-horário.
KESHE:
No futuro, criaremos uma variação, uma combinação diferente, específicamente para plasmas mais “suaves”, não para esses plasmas assim tão “pesados” dos MPs. Mas nós não vemos nenhum motivo, pelo menos por enquanto, para trazer essa variação de fluxos à público agora. Isso vai ser para quando se estiver desenvolvendo determinados tipos de produtos finais, e para isso nós necessitarmos de um plasma mais “suave”.
Mas, por enquanto, vamos seguir esta regra: Todas suas bobinas tem de ser enroladas manualmente no sentido anti-horário, e se a haste estiver conectada na parafusadeira ou furadeira, prenda o arame no bocal e deixe a haste girar no sentido horário. –
Para ficar bem esclarecido:
Você tem dois conjuntos de bobinas em cada torre, certo? Cada um destes conjuntos tem sua própria bobina gravitacional (a mais interna) e sua própria bobina magnética (a mais externa). E numa torre você tem um conjunto de bobinas de largura menor no meio, e sua função geral é gravitacional, e você tem um conjunto de bobinas de largura maior no lado externo, e sua função geral é magnética.
Então, depois que você faz as conexões internas, o sistema direciona o fluxo no sentido horário para gravidade e no sentido anti-horário para magnetismo. A regra de fluxo é gravidade no sentido dos ponteiros do relógio, e magnetismo no sentido anti-horário.
Quando você conecta a parte gravitacional, que é o fio que atravessa por dentro daquela bobina do conjunto central ou gravitacional de bobinas de uma torre, você quer conectar gravidade com gravidade, então você vai no sentido horário. Então em seguida o fluxo da energia vai no sentido anti-horário dentro da bobina maior, a bobina magnética do conjunto central ou “geral gravitacional”. A partir daí a energia vai para o centro da bobina gravitacional do conjunto “geral magnético”, que é o conjunto de tamanho maior, mais periférico da torre. Sendo gravitacional, então o fluxo vai no sentido horário. É uma explicação de sentido da corrente, não tem a ver com a enrolação das bobinas. Então, quando a corrente chega lá, toda a gravidade estará como que unida, e então o que o Sistema faz é empurrar para fora isso, por meio da bobina magnética de maior diâmetro desse conjunto “geral magnético”, sentido um fluxo anti-horário. E o processo assim se solidariza por conta própria.
Em termos de fluxo, o gravitacional do conjunto pequeno se conecta ao gravitacional do conjunto maior, indo no sentido horário, e puxando puxando, atraindo, trazendo para dentro, drenando da bola de Gans e de todos os Campos em redor através dos nano revestimentos e coberturas de Gans de todas as bobinas. Isso faz acumular e densificar forças de Campo, que ao mesmo tempo alimentam e são retroalimentadas num loop.
Então, quando este fluxo de Campo atinge o conjunto de bobinas maiores, conjunto “geral magnético”, vai direto para o centro dele, e lá no final, quando então passa pela bobina magnética desse conjunto, o fluxo está em sentido anti-horário, e disto você extrai sua energia.
O entendimento é esse (acima). Apenas tente compreender o porquê. Sempre que dois Plasmas interagem, eles criam ou estabelecem entre si um loop de infinito. Eu chamo esse “loop” de: Twinity. Veja como ele é:
Numa aula anterior, o Marko veio aqui à frente e tentou lhes explicar exatamente isso, lembram-se?

A partir daqui até aqui é fluxo magnético.
A partir daqui até aqui é fluxo magnético.
A partir daqui até aqui é fluxo gravitacional.
A partir daqui até aqui é fluxo gravitacional.
E ao fundo (bordas do desenho – linhas pretas), o que você vê é um feedback: 
O feedback é como uma retroalimentação, uma busca frenética por manter tudo dentro do mesmo pacote.
E aquilo que primeiramente se fez absorção ou compactação gravitacional, do lado de fora irá se tornar em emanação magnética. Temos aí, um gravitacional que se torna em magnético, ou indo de gravitacional para magnético, ou, em outras palavras, se converte de gravitacional para magnético, tal como o Marko explicou antes.
Esta é a razão pela qual, em cada torre do MP, temos um legítimo Mag-grav. E temos três torres só para reforçar o efeito, ou seja, para reforçar a concentração de Campo no centro da torre do meio, como explicamos anteriormente.
KESHE:
Alguém entre nós tem seus desenvolvimentos em torno da construção do seu MP para nos mostrar? Vou me sentar aqui um pouco para assistir vocês.
HOMEM:
Eu posso mostrar o que eu já fiz.
KESHE:
Estou vendo ao fundo de sua sala uma miniatura de locomotiva.
Isto me arremeteu a um pensamento sobre a corrida de divulgação mundial que estamos fazendo, e os desenvolvimentos novos com a tecnologia de plasma.
HOMEM:
É que eu coleciono antiguidades e coisas que me arremetem ao século 19, mas não coleciono chapéus.
Quanto ao que estou fazendo, coletei uma boa quantidade de vários tipos de Gans e estou lavando-os para tirar o sal. O maior problema é coletar bastante Gans. Levou um mês para colecionar pequenas quantidades, por meio de bacias de tamanho médio. Não é um processo muito rápido, ou talvez seja o nível de CO2 aqui de casa que não é muito alto para acelerar essa coleta.
Também já fiz o nano revestimento inicial com cáustica, aquela fase da imersão, e já estou nas fases B e C, da polarização elétrica com o multímetro ou pilha, e do nano revestimento com cáustica de sauna a vapor, aquele que nano reveste só com a umidade e calor.
KESHE:
Não se esqueça, nesta fase, de deixar pingar algumas gotas de sua cáustica usada sobre os materiais.
HOMEM:
Ok, eu tenho aqui. Vou fazer isso.
KESHE:
Mais alguém para mostrar?
RICK:
Há alguém que está neste momento criando as bobinas e quer mostrar os procedimentos.
RICK:
Estão perguntando também se este Gans tipo hemoglobina é bom de usar na sopa de Gans.
KESHE:
Não use. Deixe a hemoglobina vermelha para outros usos. Gans de CH3 você pode usar sim na sopa de Gans. Entenda que há uma grande diferença entre CH3 e Hemoglobina vermelha. Nós já comentamos isso na semana anterior a este Blueprint. Você pode produzir litros desta Hemoglobina vermelha. Pode adicionar magnésio à ela, para aumentar a quantidade. Depois você deve filtrá-la, para obter nova estrutura, novos parâmetros. Se você filtrar e filtrar, o que sai para fora do filtro é invisível, mas você sente a energia que vem dessa “entidade” (Hemoglobina vermelha) É tudo muito fácil de fazer, mas necessita tempo para que você entenda os procedimentos, que são extremamente simples.
[NOTA DO TRADUTOR: Neste ponto, sem dar pausa ou anunciar, o professor Keshe começa um assunto totalmente novo, e passa a falar de temperaturas e sensações, como se tivesse se agendado para falar desse assunto no final deste workshop.]
AS EMOÇÕES E A SENSAÇÃO TÉRMICA CORPORAL
Mostrarei para vocês como os sistemas de aquecimento atuais, no futuro, e até mesmo agora, já não serão mais necessários.
Se você quer sentir calor na sua pele crie uma condição de se sentir quente, e você decide quão mais quente quer que seja essa sensação de calor. Não será mais necessário esfregar as mãos, ou se aproximar de algo quente para se aquecer. Você apenas sente, através das suas emoções, a temperatura que deseja sentir, e isso totalmente independente da temperatura ambiente atual. Isso acontece muito no espaço. No espaço, pode não ser necessário manter aquele “calor ambiente artificial” para que o corpo se sinta confortável. No espaço, você controla a sua temperatura por meio das emoções, decidindo um limite de temperatura para o corpo por meio do seu emocional. Você decide com qual temperatura ambiente você quer ‘se sentir estar’, ou que quer que o corpo manifeste externamente, da mesma forma que o corpo faz com o seu sangue, e da mesma forma que o “sistema de aura” do seu corpo controla as temperaturas adjacentes do seu corpo.
A sensação de frio ou de calor, advinda do meio ambiente, é captada por seu “sistema de aura” porque esta parte mantém um trabalho sensorial constante de interpretação de temperatura. Então, quando a temperatura exterior se altera, é natural que você sinta a diferença. Mas, se você pouder ajustar suas emoções ao mesmo nível do ambiente, você não sentirá a diferença, a aura parará de fazer o papel de sensor. Isso significa poder decidir a temperatura do corpo, através da emoção.
A melhor indicação disso está na menopausa das mulheres após os 40-50 anos. Elas sentem aqueles calorões pelo corpo inteiro, e em seguida aqueles calafrios., e os médicos dizem que é por causa da menopausa, mas na verdade é tudo emocional: o que causam estas oscilações são o medo que elas têm de não poderem ser mais reprodutivas. Funciona como uma espada para elas: pura manifestação emocional, um extravasamento de emoções contidas, sempre relacionadas à essa questão, como se fosse uma catarse hormonal, causando calor ou frio, ou calor seguido de frio. Na verdade, é puro desperdício emocional. Mas nos faz perceber que se pode usar as mesmas emoções de outra forma, mais eficiente, para sentir qualquer temperatura corporal que se deseja. É assim que se faz no espaço, mas também aqui na Terra. Numa mesma casa pode ter uma lareira, pode estar muito frio lá fora e dentro da casa também, mas você não necessitará ligar a lareira. Você pode estar seminu e se sentir muito bem, sem sentir frio algum, se tiver as suas emoções bem controladas. Há muitos exemplos disso no mundo: “faquires” que não são afetados pelas brasas de fogo sob os pés, crianças que saem na neve com pouca roupa e brincam e se divertem, etc. Num restaurante mexicano (ou baiano), todos comem comidas muito apimentadas, mas só um ou outro sai de lá necessitando tomar um banho refrescante! Você sabe por que? Descontrole emocional! Os outros, que não pensaram que iriam ser afetados pela comida, ou que já estavam acostumados com ela, não terão estas reações. Portanto, esse controle emocional das temperaturas corporais é feito naturalmente pela humanidade por milhares de anos. Mas não por aqueies que tem medo!
Você passa a ter o controle emocional do fluxo de Plasmas pelo seu corpo. Lembrando ainda que todo seu corpo é feito de distintos tipos de Gans, mas o mais parecido com os tipos de Gans que você conhece é a sua pele, as várias camadas de sua pele, que são feitas de “nano revestimentos e Gans”, e, tal como expliquei em aulas anteriores, os Gans são plasmas. Sua pele pode gelar e ser difícil de aquecer, se estiver apenas a deriva das temperaturas frias de um inverno. Mas não será assim se ela estiver sob o seu controle emocional intenso. Se sua pele, seu corpo, não estiverem sob controle do medo, então a emoção pode controlar a temperatura que você sente!
É o que digo desde o início: quando você entende o trabalho do Plasma, tanto no estado de matéria quanto no estado de Gans. então você vê como pode conectar uma coisa com a outra, já que a emoção está tão estritamente ligada à fisicalidade. Vocês estão construindo um Sistema (MP) que é gravitacional e magnético, o qual cobre integralmente todo o espectro de energias. Se você entende como o seu MP atua, você entende também como seu corpo atua! Resolver emocionalmente essa questão das temperaturas corporais é uma boa ideia para quem conhece o poder do mag-grav, porém não é uma boa ideia para os fabricantes de arcondicionado e de ventiladores!
HOMEM:
E ao tomar uma água bem gelada, seremos capazes de senti-la em uma temperatura normal?
KESHE:
Se você achar que não pode, não vai acontecer mesmo! É por isso que alguns de nós podem beber água quente sem problemas, e outros não podem tolerar nem mesmo a água gelada. Os que não podem são pessoas que construíram uma ideia fixa em suas mentes e emoções baseadas em experiências acumuladas de medo.
Este processo de que o controle da emoção pode elevar ou baixar a temperatura corporal, é algo que ainda tem de ser aprendido pela humanidade, ser experimentado, e é necessário se acostumar com ele. E os primeiros exercícios começam com o toque. Ao tocar algo quente, mesmo que você saiba que está quente, você não tem que ter medo, você não tem que reagir impulsivamente ao toque , mas você, pelas emoções controladas, pode esquentar a pele da sua mão ou dos seus dedos, e, nesta condição, pode então tocar confortavelmente no que está quente, sem se queimar. E a mesma situação com coisas frias, só que gelando. O toque é o primeiro exercício de adaptação desta técnica! Mas se pensar “e se”; se tiver medo; se ficar “de sobreaviso contra uma possivel queimadura”, não funcionará para você.
As mulheres maduras que entenderem isso, treinarem isso, podem controlar os efeitos da menopausa. Os que suam muito também poderão ver controlada sua sudorização, e os que são naturalmente friolentos no inverno podem parar de se sentir os pés gelados, etc. O segredo? Emoções na sua mais forte intensidade.
O emocional aqui, e o ambiente e o estado de matéria aqui:
Agora você entende o processo. Agora você pode começar a controla suas emoções. Em seguida, você estará podendo direcionar a temperatura de qualquer área do corpo. Mas é necessário treinamento. Temos que mudar o nosso estado de “aceitação emocional” da temperatura. Eu diria que é necessário treinar por pelo menos dois a três anos com as técnicas de toque . E tente desejar que você pode receber este grau de auto-controle.
Aprenda a usar sua emoção. Quando se está em um estado de matéria, a interação dos Plasmas se dá por meio dos Gans, e a liberação de energia se manifesta no limite externo da aura. Quando finalmente se tiver total controle emocional de sua fisicalidade, as sensações térmicas que você terá serão aquelas ditadas pelas suas emoções, e somente por ela. Você pode ficar parado num calor torrencial e se sentir confortavelmente arejado. Você pode estar num lugar frio e, para se sentir bem, evocar a sensação de um calor de deserto, instantaneamente, se estiver bem treinado, pois o calor, o frio, são apenas sensações.
Existe também uma tecnologia Keshe que conecta isso. Esses Sistemas (MP) que você está aprendendo a construir são de alto fornecimento de campos magnético-gravitacionais. Eles controlam a intensidade da manifestação energética na fisicalidade da mesma forma como você pode controlar emocionalmente a intensidade da sensação térmica que você sente! Mas, tanto num quanto no outro, nós temos que criar uma condição para isto acontecer.
E com estes sistemas mag-grav você pode aprender muito rapidamente como fazê-lo, e sistemas de aquecimento se tornarão uma coisa do passado! Você pode ajustar, por exemplo, o seu MP para que qualquer coisa nesta sala que seja feita de plástico fique aquecida a 30 graus, e se seu MP estiver com fluxo livre de plasmas no ambiente, você tocará em qualquer coisa plástica nesse ambiente e sentirá que esta está morna! Se controlarmos o gravitacional em uma extremidade, e o magnético em outra extremidade, sabendo-se fazer os ajustes certos, obtém-se do seu MP, ou de pequenos reatores-dispositivos de plástico atuando como mag-grav, um aquecedor ambiente natural, do tipo plasmático, e isto se obtém com muita facilidade! Para ambientes isso é muito fácil de fazer, agora quero ver você fazer com suas próprias sensações por meio de suas próprias emoções! Estamos tentando. aqui, incentivar vocês a começar a criar o plasma da “temperatura certa” através da sua mão. Primeiro de sua mão, depois do resto. Se vier com um alta intensidade de emoção dirigida para o controle da temperatura corporal, então, nas interações de nível inferior, ou estado de matéria, a luz criada interagirá com os plasmas existentes (sua pele, por exemplo). Sim, luz, pois quando a interação dos campos mag-grav do Sol e da Terra fazem contato, em algum ponto se criará luz sobre o plasma da Terra, e depois é que vem o calor, e da mesma forma é com as suas emoções e com o seu sangue. É o que venho dizendo sempre, se puderem perceber as milhares de vezes que repeti isso, irão notar que é só disso que eu falo o tempo inteiro.
Esta tecnologia de plasma está constantemente se abrindo para novas possibilidades, novas fronteiras. São as pessoas, em suas casas, em suas garagens, em suas oficinas, que vão começar e já estão começando a abrir estas portas por si mesmas. Cada um de vocês acabará se especializando em alguma parte da tecnologia.
Muito obrigado à todos, e até a próxima aula.

AVANÇAR À PARTE 1 DA AULA 6

RETORNAR À PARTE 2 DA AULA 5

COMEÇAR DESDE O INÍCIO – AULA 1

 

Mehran Keshe Foundation KFSSI applications aplicações