Aula 4 – parte 1

RETORNAR À PARTE 4 DA AULA 3
AVANÇAR À PARTE 2 DA AULA 4

ESTA É A PARTE 1 DA AULA 4 (corrigida):

(postada em 1 de janeiro/2017)

00b professor M.T.Keshe

TEMA PRINCIPAL

TECNOLOGIAS DE SAÚDE, CANETA DE SAÚDE, GANS NO CORPO HUMANO, AMPUTAÇÃO E CRESCIMENTO DE MEMBROS

 
Agora algumas noções da nossa seção de Saúde. Entendemos que a estrutura do corpo humano é um sistema dinâmico de plasma. Este é o esboço básico por onde começamos a explicar sobre o corpo humano. O  x  na parte de cima são as entradas: a boca, a mente, os principais sentidos; e o  x  na parte de baixo são as saídas:
Estas duas partes verticais no meio, semelhante a duas salsichas, dizemos que estão em um estado de Vácuo Total.
No final desta aula você vai entender a analogia destas “salsichas” e do vácuo. Fiquemos apenas na ilustração por enquanto.
Tenha como certo que cada órgão, cada célula do seu corpo está literalmente em um estado de Gans, funcionando como condição plasmática, e somos como sólidos apenas para nos diferenciar em relação ao ambiente gasoso atmosférico em volta de nós. 
Tem sido comum nos enganarmos em ficar pensando que o nosso físico funciona em um estado de matéria, ao invés de plasma. Mas a verdade é que não há nada mais do que interações entre plasmas em uma condição muito alta de vácuo, e que … fizeram algumas coisas com este vácuo. Estes plasmas o densificaram (Nano), o revestiram por camadas (Gans), dividiu-os automaticamente (radioatividade de baixo nível) em sistemas menores e funcionais (conforme regras de DNA e de RNA) e assim se criou todo sistema, dentro de compartimentos vedados (órgãos, ossos, pele, músculos, membros), etc.
Mas se você olhar melhor, toda esta estrutura tem duas funções principais:
1. responder à, e proporcionar experiências à, outra parte mais abstrata a qual chamamos, respectivamente, de emoções e de alma.
2. com esta parte (item 1, emoções e alma,) coordenando e devolvendo, as funções do corpo físico. As emoções coordenam / influenciam, e a alma devolve. 
e o cérebro-mente fica responsável por alimentá-la e utilizá-la.
enquanto que, nesta região (figura abaixo), os cinco sentidos do corpo funcionam para alimentar a sua parte emocional.
Então, quando você entende que tudo no corpo humano opera como plasmas em uma condição de plasma, você percebe que todas as suas células físicas se organizam como Gans.
Agora que sabemos que o corpo humano é feito de Gans e que o Gans é um plasma, para manter seu corpo saudável e equilibrado, tudo o que você precisa ficar atento, em relação à ele, é o quanto Está tomando e quanto Está dando DE PLASMA, e isto sem o uso de qualquer remédio.
É tudo o mesmo! Não importa se é uma célula do coração ou uma célula do peito, só o nome é que é diferente.
No reino do plasma, o que diferencia as duas células é que cada uma tem uma determinada massa específica que é o balanceamento equilibrado do campo gravitacional e magnético (mag-grav) que esta alcançou obter. O que muda de um para o outro é que apenas o ambiente ou a taxa de intensidade do campo que percorre um material Gans é que mudam.
Esta tecnologia se encontra ainda em sua infância.
Se você chegou agora, deve estar estranhando estas pessoas que trabalham com arames torcidos, que são nano revestidos, e então os usam em “ponto de dor” e dizem depois que estão curadas. E, como muitos dos críticos dos trabalhos da Fundação, você pode até dizer que estão formando algum tipo de culto em torno do metal cobre nano revestido, ou coisa parecida. E você talvez não acredite nos depoimentos, mas não perde tempo em ir à farmácia se encher de remédios quando o médico receita uma receita para dor de cabeça por exemplo, não é? Só porque a tecnologia da Fundação não se encaixa na medicina tradicional não significa que ela não funciona.
Vamos à um depoimento. Chamo aqui para a frente a Sevina. Esta mulher queixou-se para mim de um problema de dores nas articulações que já perdurava durante um ano inteiro. Então eu dei uma caneta de saúde para ela ontem e expliquei-lhe como deveria usá-la, como segurá-la. Ela usou o dispositivo, e agora quero chamá-la aqui para dizer se ainda sofre das graves dores de ontem e do ano inteiro.
mulher vem à frente e pega o microfone para falar]
SEVINA:
Eu tinha tendinite entre os dedos da mão direita e também uma mancha escura no dedo mindinho, e tudo, todo movimento que precisava fazer com esta mão era sempre muito doloroso, até conhecer esta caneta de saúde.
Na noite passada eu experimentei a caneta de saúde por 5 minutos e toda a escuridão daquele dedo e a rigidez dos dedos em geral desapareceu por completo, e isto logo CINCO MINUTOS DEPOIS! É só isso que eu tinha para dizer.
KESHE:
Você pode então mostrar para nós o quanto de melhor você está se sentindo, fazendo uma demonstração de mobilidade da sua mão?
[a mulher então mexe com todos os dedos perfeitamente, e gira o pulso também para várias direções, e com aparência tranquila, sem qualquer sinal de dor]
KESHE:
Então você viu que a tecnologia não tem nada de escondido nela. Nós somos tão loucos que mostramos isso ao vivo agora, e sem que ela soubesse previamente que seria chamada.
Agora a beleza desta tecnologia é saber que os chineses estão se divertindo muito com ela, fazendo chapéus, capacetes e emplastros para o corpo, preenchidos com Gans feitos a partir de materiais diferentes, e tendo resultados também praticamente instantâneos, contados em questão de minutos, horas, ou dias, e além disso eles estão indo para um estágio mais avançado nos seus desenvolvimentos.
Com as canetas de saúde também é assim: se há um desequilíbrio num dada área do corpo, o que a caneta faz, trabalhando ao nível de plasmas e Gans, é tirar o desequilíbrio por balanceamento de mag-grav e tirar do corpo o aquilo que não é útil, e colocar plasma em seu lugar.
E então o plasma que chega conclui o trabalho, dando ás células envolvidas uma energia nova, a qual não havia antes.
Quando esses sistemas/células finalmente encontrarem o seu equilíbrio em relação ao sistema de mag-grav da caneta ou de qualquer dispositivo plasmático utilizado, a cura então estará estabelecida.
Mais adiante explicaremos como é possível até mesmo a restauração ou crescimento de amputações, da mesma forma como os répteis podem fazer quando sua cauda ou pata é cortada, pois sempre que os perdem, eles a reconstroem novamente por inteiro, O desenho abaixo tenta mostrar um animal que acabou de perder sua cauda.
e com o tempo ela vai lentamente se reconstruindo novamente.
A cauda do animal que foi perdida não se reconstrói de fora para dentro mas sim de dentro para fora.
Agora sabemos o segredo desta reconstrução, o qual tem sido por séculos um dos maiores mistérios da ciência. Tivemos um caso assim na Fundação a alguns anos atrás, onde um dedo amputado por conta da diabetes foi se reconstruindo lentamene. eis uma foto deste caso. não há fotos do restante do procedimento porque o emocional da paciente ficou abalado e ela parou o tratamento na metade.
O que descobrimos com este tratamento é o que ocorre com o lagarto quando perde sua cauda.
Não há mais nenhum mistério para nós sobre como se processa o crescimento de um membro amputado. porque é exatamente o mesmo que acontece quando você nano reveste um arame de cobre e ele vai criando camadas e mais camadas nano sobre ele.
Primeiro nós criamos os materiais nano,
O crescimento dos nano materiais sobre um arame de cobre é muito semelhante ao processo mag-grav que a ponta de uma caneta de saúde faz quando é colocada próxima da pele.
Uma caneta de saúde igual àquela que foi mostrada antes em minha mão . (Keshe mostra novamente uma caneta de saúde em sua mão).
O que se descobriu desta comparação, entre o trabalho da ponta da caneta e o ponto de amputação de um rabo de lagarto, é que o corpo do lagarto cria o seu próprio vácuo em redor, do mesmo tamanho que o lugar que foi amputado, e então começa imediatamente a criar camadas de Gans neste ambiente, e sempre a partir da parte que foi danificada previamente.  [e isto só acontece porque o lagarto não sente qualquer dor ou desconforto neste local. Além disso, ele continua agindo de todas as maneiras como se ainda tivesse o seu rabo no lugar onde deveria estar].
Ele [seu “emocional”, digamos assim], cria células em uma combinação de intensidade de modo que as últimas células geradas se tornam nano materiais em nano camadas, e qualquer informação que vem do cérebro é então absorvida nestas camadas nano.
O cérebro é sempre um participante ativo neste processo.
Com os seres humanos que em membros amputados, geralmente nada acontece, exatamente porque quando a informação vem do cérebro…
ela chega no ponto da amputação e não pode ir mais a lugar algum [porque o emocional dela fez ela se sentir uma aleijada, ou porque a alma dela bloqueou a continuidade da informação necessária à auto-reconstrução] .
O resultado é que a informação que chega se torna em dor local, ou então em uma dor de cabeça, e a dor representa perigo, e isto significa que o cérebro deve evitar a partir daí mandar a informação de novo, pois isso causa mal-estar ao seu usuário. Isso é muito semelhante ao que acontece quando nossa pele tem contato com o fogo ou com uma chapa quente e então se estabelece no nosso cérebro cinco diferentes razões para não tocarmos mais ali. Então, depois da amputação, as (21) primeiras vezes que o cérebro envia as informações de crescimento para o ponto de amputação, volta dali em resposta uma informação de dor e a dor significa que o corpo não quer mais que o cérebro envie informações de nenhum tipo para as células daquela região. E depois de algumas (talvez 21) tentativas, o cérebro pára mesmo de enviar a informação, aquela informação que poderia fazer o membro crescer de novo.
Bem, o que acontece no lagarto é que quando a informação vem, não é bloqueada e cada vez que vem, logo é criada uma nano camada de materiais lá, a energia em redor fica absorvida pelas nano camadas e o cérebro não recebe nenhum registro de dor, então ele continua desenvolvendo células normalmente ali e o que acontece é que o lagarto continua a empilhar camadas de nano materiais nesta ponta final e por esta razão a cauda dele continua a crescer.
Porque tudo o que a informação faz é mover o ponto de restauração para uma camada acima. o ponto de restauração se move para o próximo topo, e o próximo, e o próximo, e o próximo, até que o cérebro é avisado de que não há mais necessidade ou possibilidade de camadas serem produzidas ali. Isto só acontecerá quando todo o membro estiver totalmente reconstruído.
Agora sabemos qual é o segredo. não há quaisquer pré-informações genéticas envolvidas. Não há nada de vivências de memórias do antigo membro que ali existia. Não há nada que se necessite aprender sobre leis da criação, nem remédios quaisquer a serem colocados sobre o ponto de corte para criarem um calor ou uma temperatura específica na região e assim provocar o surgimento da camada nano, pois a temperatura ideal é aquela que vem do próprio corpo.
Já que sabemos como criar nano camadas em um material, tudo o que precisamos fazer é “produzir o peso específico” (?) para colocar na frente do dedo amputado e “permitir que ele mova-o de volta” (?), o que não é nada mais do que uma imitação da forma e processo como a informação vem a partir do cérebro, e você poderá lentamente ver crescer ali o dedo inteiro novamente.
Nós fizemos isso. Isso não é teoria! Agora nós ensinamos a técnica para isso, a qual se dá pelo uso de uma tecnologia de plasma.
Você acopla um dispositivo – que custa apenas uns poucos dólares – no momento seguinte à amputação e depois disso você não vê nenhum sangue correndo, nenhuma dor se manifesta, não haverá nenhuma infecção local, e vimos os resultados durante quatro meses, com os ossos crescendo novamente de dentro para fora, e os músculos e os tecidos em redor. Depois de quatro meses paramos de acompanhar o processo [ficou-ses sem saber o resultado final]. Mas estes quatro meses da experiência só aconteceu porque o médico que acompanhou aquele garoto compreendeu a tecnologia de plasma, já que cada célula no ponto da amputação é um Gans, é um plasma!
O cérebro libera informações de produção e, caso ele obtenha retorno, ele continua enviando e enviando, e enviando.
Agora que temos uma nova compreensão do plasma e da própria estrutura do corpo humano, antecipamos a informação de que isto altera toda a forma de aplicações médicas no espaço. Até agora a amputação de partes do corpo tem sido problemática, porque muitos amputados sentem como se o membro perdido ainda estivesse ali. A amputação de membros não será mais uma necessidade e, se tiver mesmo que acontecer, em questão de meses você poderá ver crescer de volta o membro no lugar, porque com os dispositivos não deixamos o corpo saber que ali está faltando um membro, então o crescimento celular naquela região prossegue normalmente, e isto até poderá ser acelerado de alguma maneira no futuro. Porque é padrão que TODAS as células do nosso corpo mudem num período de tempo de no máximo sete anos, para os adultos, e muito mais rápido para crianças até os onze anos de idade. Cada célula do corpo é como uma pele, e a pele é feita de camadas de Gans, e sua pele está sempre sendo trocada: nasce camadas de Gans por baixo e a camada mais externa se solta, como um muco ou células mortas.
Todo membro amputado pode crescer novamente, desde que o sistema nervoso e o lado emocional se lembre da presença deste membro no ponto do corte, de modo que ali devem continuar crescendo células novas, e isto começa de dentro para fora, levando sangue para lá e o sangue (que é plasma também) vai se materializando em Gans (que é plasma nano) e, por acúmulo, se transforma em camadas de pele.
A função dos dispositivos de plasma no local da amputação (mas poderia ser também internamente), deve ser manter esta memória celular e mesmo estimulá-la, acelerá-la. Por exemplo, você pode ter uma parte do fígado retirada mas em seguida ser submetido a um tratamento que faça crescer no mesmo lugar o restante do fígado que lhe falta.
Então, se você consegue compreender isto, você pode imaginar as mudanças na medicina do ser humano viajando pelo espaço. Se tudo no espaço e também o próprio corpo humano é baseado em plasma, não necessitamos levar remédios para o espaço. Também não penso que a NASA esteja planejando construir companhias farmacêuticas em Marte ou Júpiter ou nos planetas gelados.
Se todo viajante do espaço compreender completamente, como aqui na Fundação Keshe, a forma como o plasma trabalha, esta será a linguagem final da medicina, da nutrição, da produção de água, da produção de materiais no espaço, da mesma forma que em sua casa na Terra você pode se sentir responsável por buscar sua comida, ter uma fonte d’água, cuidar de sua saúde física, preparar e separar materiais para fazer roupas, calçado, construir sua moradia, etc. E tudo isto simplesmente porque se entende a totalidade [como as coisas funcionam em um nível de plasmas], 
Quando formos ao espaço nós não levaremos toneladas de estoques de arroz, nem carne para os carnívoros, nem biju para os índios, nem pizzas para os italianos, mas nós lidaremos com a essência nutritiva plasmática e com nano materiais que serão carregados desta essência, e à eles aplicaremos então a textura e o cheiro e o sabor exatamente como nosso corpo recorda-se de tê-los aqui na Terra, e da forma como você gosta de consumi-los. Até mesmo poderá simplesmente beber num copo de saúde e sentir o gosto de todas estas coisas no líquido, se você quiser assim. Tudo isto já poderia estar muito acelerado agora, atualmente, caso vocês não tivessem tanta pressa em espremer energia elétrica do sistema de energia mag-grav [referindo-se ao dispositivo azul, o M.P.].
ALGUÉM DO AUDITÓRIO DIZ:
Poder sentir o gosto dos alimentos na água poderia ser uma desculpa para se trabalhar mais nisso…
KESHE:
Eu gosto de banana; você gosta da laranja; se poderá sentir todos estes gostos e muitos outros na água.
Então, a partir de agora a aplicação científica no espaço se tornou liberdade total, porque agora entendemos a totalidade de como o plasma trabalha, e também dentro do corpo humano.
Você acha que alguém vai aceitar ter um marcapasso no coração ou outro dispositivo qualquer junto ao peito ou no próprio sistema cardíaco caso saiba que isto seja desnecessário? Porque no momento que isto de acrescentar coisas ou substituir órgãos acontece, eles tem que mudar suas rotinas de vida por 10 ou 15 anos, pelo menos!
(isto deveria ser o desenho de um marcapasso)
E a vida média de um coração mecânico é em torno de 10 anos, e no máximo em 15 anos, pelo menos tem que ser substituída a válvula do coração para uma garrafa nova, e quando os médicos dizem que você tem que fazer estes procedimentos e passar a viver com estas coisas no corpo você quase entra em pânico.
Mas a tecnologia de plasma tem suas soluções. Neste caso, você pode criar uma condição específica…
Pela simples razão de que o plasma é parte do processo de vida física, não necessitaremos gastar milhões de dólares de investimento em tais tecnologias, mas apenas dispositivos de poucos dólares, pois são sistemas muito simples que, em termos de saúde, atuam dando condições para que o corpo repare-se a si próprio naturalmente durante um certo tempo necessário à isso.
No caso do problema de coração que necessitaria de um marca-passo ou um transplante de órgão, você criará com o dispositivo de plasma (provisório, acoplado dentro ou junto do peito) um campo gravitacional e magnético (mag-grav) igual ao da célula daquela válvula
e com este equilíbrio sendo restaurado, então o próprio corpo se repara sozinho neste ponto (do coração).
Um balanceamento de mag-grav é o que acontece aqui no tubo (apontado).
Assim você vê que, para o uso no espaço (porque todas estas tecnologias são pensadas antes para o espaço), toda forma de aplicar medicina deve mudar. E isto sem a parafernália de patentes e usos secretos que levaram embora grande parte do trabalho de um Tesla, que mesmo depois de cem anos está custoso de se voltar a resgatar. Tudo isto deve se desenvolver sem quaisquer patentes registradas.
E é muito prazeroso para mim ver o povo testemunhando de que tanta dor já foi aliviada com as canetas de saúde, e isto é só o começo. Mas esta revolução depende de que se compartilhe o conhecimento e que o compartilhamento avance e nunca mais pare. Porque quando se compartilha o conhecimento todo este sistema de “revisão por pares”, de patenteamento de invenções, royalties sobre vendas de aparelhos inventados, e assassinato de inventores de tecnologias limpas (porque vocês sabem que esta é a maneira que a máquina de dinheiro funciona), vai então cessando e minguando até que não se sustenta mais. .
O resultado deste compartilhamento de informações é o que estamos vendo acontecer, tal como quando na África um pai de família usa uma destas barras (?) e produz luz para sua residência, e quando um filho quebra o seu braço, dispositivos de plasma farão com que logo ele esteja brincando normalmente outra vez.
Quando você compartilha conhecimento apartado da ciência oficial, todos se beneficiam. E quando você fala com professores e técnicos especializados, eles não conseguem entender como isso funciona. Mas funciona. Estas aplicações / resultados do plasma valem bilhões se fossem devidamente aproveitados e espalhados, porém o jogo do poder não deixa. É tal como ouvi de um embaixador chinês dizer que não há dinheiro suficiente em todos os bancos do mundo para eles que estão jogando este jogo atualmente, mas para aquele que compreende o funcionamento do plasma, alguns poucos dólares são suficientes para ver acontecer grandes resultados. Aliás, de que serve tanto dinheiro para quem quer viver no planeta Marte, pois para eles (assim esperamos e acreditamos) não haverá dinheiro.
Nós – da Fundação Keshe e do Instituto Espaçonave – servimos à humanidade e por isto não nos importamos com quantos de tantas nações estão fabricando os nossos dispositivos, e continuamos dedicando nosso tempo e nossa força vital para que mais e mais estes e outros tantos dispositivos de plasma passem a ser utilizados amplamente pelo povo. Não agimos como os poderosos, que primeiro tornam o povo em tóxico-dependentes, e depois se tornam os reis do comércio fornecedor da droga. É por isso que nossa tecnologia já criou inimigos suficientes no mundo, porque atrapalha o rendimento financeiro deles (farmacêuticos). São estes que vem para a Fundação Keshe e saem daqui vendo não a solução dos problemas, mas o quanto de dinheiro eles eles estão deixando de ganhar com a tecnologia, e chamam-me de estúpido por estar dando toda esta tecnologia livremente, sendo que eu poderia estar multi-milionário com ela, caso eu quisesse retê-la em patentes, e saem daqui sem perceber que eu sou um cara que, apesar de toda organização e movimentação de fundos necessários ao empreendimento e em sua expansão, eu não sou amarrado à fisicalidade deste mundo.
A sociedade tem que mudar e alguém como eu, o Armen e todo o núcleo da Fundação, têm que dar este primeiro passo.
Aqui estamos hoje falando sobre corpo humano e saúde, porque não estamos aqui apenas para mostrar um novo sistema de energia, mas para lhes apresentar um novo caminho de vida. Estamos aqui para lhes mostrar uma nova maneira de compartilhar energia, de compartilhar conhecimentos, e de compartilhar todo o resto que falta e o qual ainda tem que se tornar parte da civilização humanam  porque agora estamos aprendendo a produzir tudo o que é necessário de mais básico para o ser humanom e tendo por base bem pouca matéria-prima.
Então você pode perceber porque todos estes cientistas que não conhecem a tecnologia estão falando que este bando de gente vindo para a Fundação Keshe atualmente é um bando de lunáticos. Não sabem eles que somos ou estamos nos tornando nos cientistas mais glamourosos do planeta, porque acessamos as bases da criação (plasma). E todos podem aprender, porque está sendo compartilhado. E todos podem participar, desde que se comprometam a não abrir novas patentes de nanotecnologia e Gans, bem como tudo o que diz respeito a este tipo de plasma, porque se o fizer nós iremos com tudo para cima de vocês, pois temos cobrido, com nosso conhecimento e patentes e vídeos e artigos e tanto mais, tudo que se pode fazer com este tipo de tecnologia, e somos os pioneiros e podemos provar isto rapidamente, e mundialmente. Não importa o que você ache que adicionou à ela com seu pedido de patente, nós já cobrimos esta possibilidade, e o fizemos sem cair nesta armadilha de patentes, pois tudo está sendo compartilhado.
A razão principal porque insistimos em ver tudo isso como aplicação espacial é que há doenças e vírus no espaço que as pessoas nem sequer conseguem imaginar na Terra, e a única forma de combater ou prevenir-se deles é entender que tudo no universo [inclusive estes vírus desconhecidos] funciona no plasma, é resultado de interações entre plasmas. Assim, quando você puder usar (ou ter aproximação com) um dispositivo para sustentar a potência do plasma no seu corpo, você bloqueia o acesso de forças menores, ou você desvia o problema dando chance ao corpo de se consertar e se recuperar sozinho, ou então permite a um certo dispositivo de plasma dar daquilo que você precisa porque lhe falta, e tomar daquilo que você tem em excesso e não necessita. Estas maneiras, com toda certeza, são as mais fáceis de se trabalhar para restaurar a saúde em qualquer situação.
Você já viu isso antes, e portanto não é novidade para você. Você lembra? Primeiro foi lhe dito lá atrás para produzir uma bobina larga (em diâmetro)
então foi lhe dito para passar por dentro dela uma outra bobina menor (em diâmetro)
E então lhe foi explicado que tinha que passar um fio por dentro desta dupla de bobinas. (reveja o GIF ANIMADO presente na página http://estudoskeshe.com.br/bem-vindo/aulas/aula-1-parte-3/ )
E então, se você entendeu aquilo, quando você nano reveste os três juntos (o conjunto) de uma só vez, você estará adicionando poder ao plasma [e quando banha algumas vezes o resultado disto em um mix de vários Gans, você adiciona ainda mais poder ao plasma, e quando acrescenta uma esfera na posição central do conjunto contendo outros Gans mais “pesados”, você adiciona ainda mais poder ao plasma]. .
Quando o Alekz propôs a ideia do M.P., ele queria empilhar até doze destes conjuntos de bobinas uns em cima dos outros. Mas eu notei que isso não ia fazer nenhuma diferença. Mas os desenvolvimentos continuaram e veio então a ideia de colocar 3 destes  ligados em série.
E, em seguida, o Alekz propôs que deveríamos dispôr eles em uma pilha (empilhados). Foi daí que surgiu o M.P. que apresentamos aqui:
Uma vez que vocês compreenderem a Totalidade, vocês irão desenvolver muito mais com estas tecnologias. É indiferente se o material é utilizado para produzir energia para uso industrial ou para penetrar mais profundamente nos distintos órgãos do corpo. Não há diferença quando você compreende finalmente o seu princípio básico de funcionamento.
Temos conosco na Fundação um inventor que chegou recentemente do Chipre, trabalhando a dois meses numa pequena nave de sete metros de diâmetro. Ele está sentado lá na parte de trás do auditório. Ele não conseguiu ainda obter a Elevação (antigravidade para voo). Seu dispositivo poderia ser ainda menor em tamanho, mas provavelmente precisaria de um plasma mais potente, poderoso o suficiente para criar um campo gravitacional e magnético (mag-grav) em torno do corpo do piloto para fazer ele voar para qualquer lugar do universo. Um tal dispositivo funcionará tão somente num campo mag-grav, e não em um estado da matéria.
Voltemos agora a falar de saúde. Com esta tecnologia. Todo modo de proporcionar saúde ao ser humano vai começar a mudar. Na medida que se venha a fabricar milhares de canetas de saúde, e os fabricantes distribuírem gratuitamente umas e venderem outras, as pessoas vão começar a perceber o diferencial da tecnologia e vão começar a se organizar em planejamentos de atuações sociais muito maiores, tal como vimos na aula anterior que está acontecendo com o grupo filipino. Então vai chegar em um ponto em que ao entrar em um hospital você não verá provavelmente tantos procedimentos cirúrgicos pois os enfermeiros estarão usando diferentes métodos de canetas de saúde (e outros dispositivos de plasma). E, se eles continuarem neste ritmo, você vai voltar lá (naquele mesmo hospital) no ano seguinte e ver eles levarem não mais do que três minutos para reverter diferentes tipos de doenças cancerígenas,
porque, com a tecnologia certa, três minutos é todo o tempo necessário para reverter qualquer câncer! Entenda isto, não aceite apenas porque eu estou dizendo. Procure entender.
Tem canetas de saúde com Gans e canetas sem Gans. E vocês possuem à disposição diversos tipos diferentes de Gans, certo? Então, dependendo da energia necessária à cada caso, você mesmo cria uma caneta diferente, e você troca de canetas em diferentes momentos do tratamento, caso saiba realmente o que está fazendo e a razão para aquela mudança de canetas naquele momento.
Porque o que as canetas realmente fazem? Elas pegam energia em excesso e dão energia onde estiver carente, até que se atinja o ponto de balanceamento, o equilíbrio energético.
Tivemos um caso recentemente de um tratamento de câncer. Nos disseram que o câncer estava afetando um lado do corpo e aplicamos o tratamento neste lado. Em seguida o paciente foi levado à ressonância magnética e o médico que analisou a imagem de RM nos disse que o paciente passou a desenvolver o mesmo câncer no outro lado. O câncer naquele paciente mudou de lado! Sabe porquê? Porque o EMOCIONAL da pessoa estava agindo fortemente, e o câncer respondeu ao tratamento mais ou menos desta maneira: eu vou me mover para o outro lado e reaparecer por lá, porque do lado onde eu estava já foi estabelecido o equilíbrio. E se aplicássemos o dispositivo neste lado também, ele desapareceria e posteriormente reapareceria em outro lugar do mesmo corpo.
Porquê isto aconteceu?
Foi porque parte do cérebro do paciente quis “comprar aquela doença”. [ é por isto que muitas doenças voltam depois de tratadas]. A parte emotiva do paciente decidiu por terminar com sua vida e, sem sabermos, o que estávamos fazendo era perseguir através da parte física um gato que já estava morto, emocionalmente falando. A emoção da pessoa estava jogando tudo para baixo para terminar logo com a fisicalidade.
A alma da pessoa fez acordos em uma condição que querer deixar a vida física, e a fisicalidade simplesmente respondia à altura deste desejo inconsciente. Então numa situação destas, se você quiser curar a pessoa completamente do câncer, você não vai fazer mais dispositivos (canetas, etc.) para agir sobre as células cancerosas dela, mas você tem que fazer um sistema, um dispositivo, especificamente para atuar sobre a emoção dela, para permitir que as emoções da pessoa atinjam uma condição de equilíbrio, para permitir que ele passe a desejar e a necessitar daquilo que ela ama e da presença daqueles que a amam. Porque enquanto oo odiar e o desejar morrer ainda fizer parte da emoção daquela pessoa, isto continuará a produzir uma condição plasmática que interfere na interação das células do seu corpo físico. Mas quando lidamos “com uma força que é mais forte do que a fisicalidade” [o EMOCIONAL], o câncer pode desaparecer em três minutos e não mais voltar, pelo menos enquanto o equilíbrio emocional conquistado ali não for novamente abalado, ou seja, enquanto a pessoa puder estar constantemente satisfazendo as necessidades “deste corpo chamado sua parte emocional”.
Esta mudança está chegando no mundo da medicina (e tem aplicações em outros campos da tecnologia, como na energia, por exemplo). Futuramente a primeira condição científica em se trabalhar com uma dada patologia será trabalhar com a condição real – o emocional ferido do paciente – e não continuar operando com quimioterapias de raios x e outras que só lidam com a parte física. Os médicos não vão mais perguntar “porquê um câncer tratado de um lado do corpo reaparece do outro lado depois de uma semana”, mas vão perguntar logo de cara “porque esta pessoa quer terminar com este corpo?” – porque é isto realmente que está produzindo a doença física terminal. Porque o câncer é como um predador lunático destruidor com apenas uma loja em mente. Não importa o quanto o prendam, o quanto os seguranças lhe segurem, o quanto digam para nunca mais voltar, ele estará sempre vindo para destruir tudo naquela mesma loja. Mas o problema não é a presença do câncer, e sim o dono dela, que decidiu-se emocionalmente que havia uma razão para terminar selvagemente com a vida daquele corpo, e o câncer é só um instrumento adequado para isso acontecer. Não importa o que os doutores façam para que isto mude fisicamente, nada adiantará se a parte emocional abalada – que é a razão para a pessoa querer terminar com seu corpo – não estiver totalmente resolvida.
A PARTE FÍSICA E A PARTE EMOCIONAL da espécie humana são totalmente separadas uma da outra. A emoção é que controla e a fisicalidade apenas segue atrás. O emocional assenta-se no trono central, e se você olhar seu cérebro, verá que o cérebro físico se assenta em redor da parte emocional.
Então se você vem a entender por que um ser humano quer acabar com a sua vida física, mesmo que não admita, e, em seguida, caso você possa satisfazer os termos (gravitacionais e magnéticos) para que esta condição emocional equilibrada volte a se restabelecer, talvez você consiga curá-la rapidamente, mas nem sempre. Às vezes acontece de a emoção ter feito um acordo com a alma…
Neste caso, você não poderá mudar a fisicalidade, não importa o que você faça, o câncer, ou doença, volta em um determinado momento, geralmente quando a alma decidir novamente terminar a própria fisicalidade.
Você, neste caso, não poderá mudar as condições, pois neste caso a vida da pessoa não está mais na mão da parte emocional, mas na mão do não-dimensional e do não- tangível, a sua alma, que se tornou então o único ocupante e está como que se despedindo.
Agora você entende como é fácil perseguir o câncer em dois níveis distintos (fisicalidade e emoção) com seus dispositivos de plasma e não conseguir resultados, não obter a cura. Porque as decisões da alma se sobrepõem às decisões da emoção e as decisões da emoção se sobrepõem aos processos do corpo.
Se você tiver trabalhado tanto em saúde quanto eu já trabalhei para tentar curar pessoas, você não vai se surpreender com o que eu vou dizer agora. Preste atenção: Tudo no corpo do ser humano que se refere a sua morte natural já está decidido pela parte emocional: o segundo exato em que isto acontecerá. O dia, a hora, o minuto e o segundo exato em que o corpo não vai mais reproduzir a próxima célula, resultando no fim da vida do sujeito. Porque o cérebro, que é um computador, calcula quanto tempo falta para isso com base no padrão emocional e, portanto, vai saber quando está produzindo os preparativos da morte do corpo.
A demonstração de que isto acontece vem dos pacientes com esclerose múltipla ou amiotrófica (MS, ou ALS/ELA), onde a terminação das funções é tão precisamente controlada para um dia e minuto exato, simplesmente porque aquela pessoa, com as emoções inteiramente falidas, tem sua alma decidida a dar cabo das funções físicas num momento exato, e o corpo destas vai parando, parando, começando por não conseguir mover um dedo hoje, uma perna amanhã, um lado do corpo em seguida, etc. Isto chega a ser planejado com até sete ou nove anos de antecedência, mas pela alma, não pela mente. Sendo isto decidido até nove anos antes, todo o sistema intricado do cérebro – que além disso tem 90% de neurônios não fazendo absolutamente nada – sabe a hora certa de parar cada pedaço da fisicalidade.
Não se esqueça de que cada célula do seu corpo se reproduz continuamente, e os cientistas que operam somente na fisicalidade dizem que vocês têm de noventa a oitenta e cinco por cento do seu cérebro não fazendo absolutamente nada. Cada célula nervosa em seu cérebro faz tudo, vinte e quatro horas por dia, controlando a temperatura, etc. etc. Na reprodução desta célula, e de todas as outras bilhões de células, vai junto a informação sobre quando é o momento de reduzir o trabalho, e quando é o momento de parar o trabalho . Realmente tal informação é tal como um comando, e vai junto com as novas células quando as antigas se reproduzem. O que tem que ser reduzido, quando começa a redução, e tudo mais, já que nove anos antes a alma (pessoa) decidiu que vai terminar sua vida. Isso é para você ver quão preciso tudo é na vida do ser humano, tudo detalhadamente calculado. mas o ser humano até agora nunca compreendeu isso direito.
Então, quando começamos um tratamento para uma pessoa com este diagnóstico mas em estágio ainda não muito avançado, nós temos que ouvi-la, e ao ouvi-la nós primeiro olhamos para ela com um olhar de pena, como se fosse o nosso último olhar misericordioso sobre ela. Depois, numa segunda seção, nós dizemos para a pessoa claramente que depois de muitos meses tal coisa acontecerá com o corpo dela, e depois de tantos anos esta é a próxima coisa que vai acontecer com ela, e depois de tantos anos essa outra coisa acontecerá, porque sabemos que é assim que acontece, porque o cérebro implantou tal plano, e geralmente ele acontece. E em seguida convidamos se ela está realmente disposta a voltar a amar a vida e tudo que isso representa, e a voltar a se sentir viva, com tudo o que o emocional disso significa. Caso contrário não podemos fazer nada por essa pessoa. Mas se a pessoa reagir, realmente reagir, porque nós entendemos o trabalho do plasma nós podemos então com os dispositivos proporcionar energia suficiente para apoiar esta retomada da vontade de viver da pessoa, e aquela vida não necessitará terminar deste modo (previsto).
Da mesma forma será quando, em um futuro distante, alcançarmos a longevidade máxima, vivendo por milhares de anos no espaço. Se nos tornamos velhos fisicamente é porque não recebemos a quantidade de energia de plasma adequada ou então não a recebemos da maneira correta. Em segundo lugar, quando nos sentimos velhos (e “aposentados”) passamos a sermos cercados de cuidados pelos outros de perto, passamos a dar as nossas coisas já em vida, e a alma humilhada não aceita tais intrusões, ou as outras pessoas pensando em dividir nossos pertences, e começa então a calcular o dia do desapego final, e geralmente com bastante antecedência.
Então, na tecnologia espacial, vamos, como sempre, como médicos, ter de enfrentar um monte de problemas psicossomáticos. Mas na medida que passemos a maior parte do tempo só no espaço, e entendendo o trabalho do plasma e a força que tem a emoção, vamos descobrir que no espaço podemos durar milhares de anos, enquanto aqui na Terra geralmente nos contentamos em viver 60 anos e quando passa-se disso nos achamos afortunados pelo destino.
Foi por este motivo que comecei esta aula dizendo que a zona de vácuo é semelhante a duas salsichas…
… ´porque esta vida na terra é semelhante a duas salsichas escondidas ou espremidas dentro de um cachorro-quente, tendo como pão o vácuo do espaço, que na realidade não é vácuo mas plasma.
Se você entender o plasma da maneira como estamos compartilhando aqu, você pode regenerar o que você quiser no seu corpo e reverter todo tipo de dano físico. Mas você tem que parar de se ver como um animal mamífero e se ver numa dinâmica tal onde tudo só pode ser reparado quando primeiramente se lida com a alma e em segundo lugar com as emoções,, e ambas estão conectadas, num contexto profundo onde:
– a alma jamais é manchada, mas pode estar querendo se sacrificar.  A alma toma decisões.
– a emoção compromete a fisicalidade e. literalmente, pode paralisá-la. A emoção errada resultará em somatizações físicas. A emoção depende de quão boa pessoa você se considera ser.
No espaço, alcançaremos visão completa do ser humano com respeito à sua existência “uniforme” e com todas as mudanças possíveis de acontecer no corpo e em outras áreas. E mesmo lá será, tal como aqui, natural que queiramos entender os nossos problemas. Aqui na Terra nem todos estão prontos para lidar com seus (próprios) problemas, e isto tem causado muito sofrimento histórico. Mas já sofremos suficiente para nos tornarmos sábios suficientes a fim de passar a trabalhar com o plasma da Natureza, e isto vai até ao ponto de levarmos a humanidade para o próximo passo de sua maturidade evolutiva.
O corpo e a fisicalidade não são nada. Mas uns tantos de vocês já sabem que são as interações plasmáticas que criam a vida humana que é a alma e esta, por sua vez, se alimenta e se sustenta em um ‘ambiente’ que trabalha emoções, ao invés de fisicalidade (trabalho, consumismo,  e materialidades).
Uma vez que, mediante naves espaciais, passemos a viajar com corpo físico pela estrutura física do espaço, iremos descobrir todas estas outras criaturas que há no espaço e veremos que a diferença entre nós e elas é basicamente no plano das emoções, pois eles trabalham suas emoções através das mesmas estruturas de Gans e de sal que nós trabalhamos. E, para ser honesto com vocês, é um deles que vem até vocês através deste “blueprint”.
Praticamente todos vocês caíram aqui na Fundação Keshe em razão da possibilidade de pouparem dinheiro com energia elétrica ou de produzi-la. Mas eu estou me aproveitando disso como uma possibilidade de trazê-los ao reconhecimento do verdadeiro modelo: o modelo de vida do universo, (vida de plasmas entre plasmas).. Porque se dominar isto você pode obter a partir do plasma tudo o que você necessita (não só a energia). Foi necessário que o ser humano tivesse maturidade suficiente para compreender tudo sobre a vida física, tangível, mas agora, dar um passo adiante, quando então você percebe que não vale a pena se incomodar com a fisicalidade, porque quando vier a compreender o plasma e como ele trabalha, você obterá tudo de que necessita, o quanto de tempo você necessitar obter isso, e da maneira que você necessitar, e isto sim vale a pena saber. Porque isto, este conhecimento, esta compreensão, irá lhe libertar e fazer de você um humano integral, e a partir de então ninguém mais vai poder exercer controle sobre você, tal como já foi dito em outra oportunidade.
É certo que ninguém tem um plano de vida, mas posso dizer que vocês vieram e se aproximaram da Fundação Keshe tentando obter um plano de economia ou produção de energia elétrica, mas alguns de vocês estão percebendo que o M.P., o “blueprint” de energia, faz muito mais do que isso e pode mesmo mudar inteiramente as vidas de vocês.
 
AVANÇAR À PARTE 2 DA AULA 4
RETORNAR À PARTE 4 DA AULA 3

COMEÇAR DO INÍCIO – AULA 1

Mehran Keshe Foundation KFSSI applications aplicações