Aula 3 – parte 4

RETORNAR À PARTE 3 DA AULA 3

AVANÇAR À PARTE 1 DA AULA 4

ESTA É A PARTE 4 DA AULA 3:

(postada em 10 de dezembro)

00b professor M.T.Keshe

TEMA PRINCIPAL

PERGUNTAS E RESPOSTAS, BANHO DE MIX DE GANS, FÓRMULA DE EINSTEIN, O ÁTOMO COMO PLASMAS

 
PERGUNTA: … sobre a espessura/diâmetro dos arames para confecção das bobinas.
KESHE:
Vocês é quem escolhem. Arame mais grosso, maior será a transferência de plasma. A única diferença é essa. Usamos fio fino aqui, mas é normal usarmos espessuras distintas de arames para aplicações diferentes.
Renan, você poderia explicar-nos a maneira de fazer as coisas nas Filipinas?
RENAN:
Com as canetas de saúde até agora nós temos usado uma mesma bitola de arame, mas temos dado às canetas diferentes formatos.
Quanto aos arames mais grossos, nós os temos aqui na fábrica, e usamos eles para produzir “bobinas espirais” para vender. E para as canetas, estamos usando arame fino, do tipo fio de telefone, e com eles fazemos bobinas de diferentes formas. Fazemos elas em forma de ovo,
fazemos em forma de vórtex e até mesmo combinamos no núcleo (haste principal) duplas de bobinas em uma mesma caneta. E seguimos fazendo variações nas formas das bobinas. E ensinamos nas aulas como construí-las e juntá-las.
Estou aqui na fábrica agora, e mostro uma das canetas que fiz: com bobinas em forma de ovo. É um núcleo com uma dupla de bobinas em forma de ovo. Esta configuração é para uma penetração mais profunda (de plasma) rumo aos órgãos internos. Com três camadas deste, ou com três bobinas ligadas em série, tal como esta (forma mostrada), o plasma penetra profundamente por esta razão. É capaz de penetrar através do fígado, ou de vários órgãos internos.
Também há outras bobinas aqui na fábrica. Na prateleira mostrada atrás de mim
está a colheita de Gans para a finalização dos dispositivos e para as unidades de potência dos MPs. Temos ainda 3 prateleiras apenas, mas estamos prestes a expandir para muitas mais prateleiras.
Aqui temos (mostra na imagem) uma bobina vórtex,
que usei para operar uma criança hospitalizada que apresentou pneumonia grave, e a recuperação dela foi muito rápida, normalizando seu oxigênio / sua oxigenação pulmonar em apenas três minutos (recuperação não significa cura. Tratamentos deverão prosseguir).
Usamos para isso uma bobina vórtex como esta.
A caneta tem no núcleo uma bobina normal destas de canetas,
e para formar a dupla de bobinas tem que inserir uma (vórtex) na outra (normal) e fixar as pontas.
Para as operações, tenho feito canetas deste tipo e tem dado resultados. São experiências iniciais. E temos canetas padrão, que são para uso comum (nota do tradutor: para dores, caroços, luxações, tendinites, artrites externas, etc.).
Como eu disse, filiamo-nos a um hospital de serviços sociais daqui, e programamos uma ou duas visitas por semana para ir á e fazer experimentos controlados (junto com os médicos) nos pacientes de lá. Desta forma testes paralelos são feitos para que haja dois diagnósticos diferenciados, um nosso e um deles, e assim podemos comparar as informações obtidas. E no final eles se reúnem para analisar tudo e nos despacham um relatório mensal.
Quanto às canetas de saúde comuns (formato padrão), que está dentro das canetas, temos um projeto específico e original.
(tal como dizíamos que podemos fazer canetas ligadas em série…) Neste projeto, duas canetas separadas são fixadas em paralelo, amarradas por uma fita, e um fio externo vai de uma à outra ligando as duas, e o outro lado é a ponta (dupla) do conjunto de canetas.
A fábrica ainda é considerada pequena, e estamos adaptando lentamente para logo produzir workshops de ensino e aulas de como fazer Gans e MPs.
Quanto à produção da fábrica, muitas unidades (MPs) estão paradas aguardando a produção dos Gans, que é lenta. Hoje especialmente o meu foco e o do fabricante, aqui na fábrica, está em produzir uma quantidade bem grande de Gans de óxido de cobre (que é quando não se usa zinco nas bacias, chamada Gans de CuO).
Eu queria mostrar também as bobinas para os MPs, as quais são produzidas em grande quantidade aqui, a que chamamos de “bobinas mumificadas”, que são apenas um pano de algodão enroladas/enfaixadas sobre elas. (a imagem da foto é o resultado após a mumificação):
KESHE: Renan, qual a razão de você mumificar estas bobinas?
RENAN:
A mumificação é feita apenas nos materiais pouco orgânicos ou nada orgânicos (como metais, por exemplo). Mumificamos as bobinas para que possam em seguida segurar melhor o Gans, para melhor absorvê-lo. Evitamos assim qualquer adesivo, qualquer uso de plástico, porque usar algodão é sempre melhor (por causa dos micro-furos no tecido).
Fazemos assim: depois do nano revestimento (provavelmente enquanto está ainda quente), nós enrolamos o pano de algodão nas bobinas, então mergulhamos (ainda quente?) no mix de Gans em gel. Em seguida a(s) bobina(s) é/são seca(s) com o ar seco (ou morno do secador de cabelo) e vai estar tudo mumificado. Então então mergulhamos outras vezes no gel de mix de Gans e no final deixamos secar tudo naturalmente, pendurados pelas pontas arredondadas dos fios.
[Obs: para dispositivos que tem cada conjunto de bobinas com um tipo de Gans, deve-se substituir, acima, o gel de mix de Gans pelo gel de Gans específico para cada bobina.]
Fazemos isto para que mais Gans se fixem no material, quando na seguinte que acontece depois da mumificação.
De início tentamos com papel banda (“band paper”), mas este se quebrava, então o nosso fabricante aqui descobriu que se pode usar fitas de algodão, e só depois disso se mergulha na água de Gans.
KESHE: Certo, mas poderia me mostrar uma bobina comum, não mumificada, também?
RENAN:
Sim, eu tenho várias que eu fiz em casa, que foi nano revestida e mergulhada diretamente no gel de mix de Gans.
E esta é a torre com três conjuntos, que montei com elas. Elas foram dispostas empilhadas em casulo de madeira. Esta torre eu fiz para meus testes em minha casa. São todas bobinas nano-revestidas a fogo (maçaricar e depois mergulhar em água fria rapidamente, e fazer isto algumas vezes) e depois finalmente mergulhadas em mix de Gans.
Estamos planejando, especialmente para os experimentos com formação estelar/piramidal de reatores, é fazer bobinas com todo nano revestimento de forma tradicional, com cáustica seguido de saunas de vapor cáustico, para que o nano revestimento não descole, pois alguns dos nano revestimentos com fogo, se não forem feitos corretamente, irão descascar facilmente.
KESHE:
Sim, acontece porque eles até caírem para dentro da água fria eles entram em contato com a umidade do ar, e os nano revestimentos se rompem, dividindo o fluxo pelos canais condutores.
RENAN: Sim, os que eu tenho lá em casa são todos com nano revestimento tradicional. Aqui na fábrica agora estamos ampliando o número de placas nano revestidas para Kits de CO2, pois está agendado diversas oficinas educativas onde as usaremos, e o processo com cáustica é realmente melhor para ambientes úmidos, como Kits de CO2. E para os alunos que virarem professores nas Filipinas, e saírem por aí fazendo oficinas educativas, nós vamos inicialmente vender para eles placas já nano revestidas, para que possam começar o mais rápido possível à ensinar outros.
KESHE:
Eu realmente gostei das suas prateleiras com seus kits de Gans atrás de você. E gostei das unidades mumificadas, Mas por favor, não mumifique, porque há um problema com a mumificação que é o do material queimar quando há descargas rápidas de energia. Se isto acontece o seu algodão queima, pega fogo. E se isto acontecer, nada mais acontece, e a tendência do seu MP será de derreter.
Mas a ideia de vocês pode dar certo se usarem algodão resistente ao fogo, ou papéis resistentes ao fogo, Tente usá-los, até chegar num ponto em que você vê esta mumificação e tem a certeza de que sua composição irá resistir ao fogo. Na Fundação Keshe usamos muito os papéis e materiais resistentes ao fogo.
Isto é para vocês que estão em casa verem a forma como o conhecimento está sendo partilhado e amplificado nas Filipinas e através de todo o planeta. Nós compartilhamos do mesmo conhecimento. E nos países da Ásia ansiamos pelo dia em que o presidente da China estará recebendo pessoalmente os seus protótipos da mão de um KS chinês que esteja aprendendo conosco agora como fazer os seus.]
Armen, você poderia nos dizer o que aconteceu na Armênia onde você foi como nosso embaixador e de lá voltou recentemente?
Caso não saibam ainda, Armen levou consigo dois MPs, um para a Armênia e outro destinado ao presidente da Geórgia, e viajando por terra de um país ao outro. Fez um magnífica apresentação par aos membros do parlamento em ambos os países, sendo que na Armênia falou para mais de 20 pessoas. E eu gostaria que ele próprio viesse aqui, pegasse um microfone e lhes explicasse pessoalmente sua jornada.
ARMEN:
Primeiramente agradeço ao grupo destes países que fez isto acontecer, se organizando, e organizando os encontros para que dois governos recebessem em mãos os MPs.
Na reunião na Armênia, quando eu coloquei os nano materiais sobre a mesa, as pessoas reunidas não conseguiam entender como eles poderiam ser super-condutores e super-resistores ao mesmo tempo. Então montei um Kit CO2 improvisado e continue a falar. Passei a explicar-lhes que com os nano materiais podemos juntar mais alguns componentes e produzir o Gans, e realmente isto era novidade para eles. Ficaram surpreendidos e ficaram pedindo fórmulas matemáticas de como fazer aquilo. Eu lhes respondi que não há fórmulas. Trata-se de uma espécie de “novo modo de entender a ciência. Mas, depois de algumas horas, quando eles se aproximaram da MP ligada à tomada, eles naõ podiam entender porque dois medidores (wattímetros?) foram LIGADOS ENTRE SI. Então eu disse: se parecer melhor aos seus olhos, podem colocar um deles na entrada elétrica vinda da parede, e outro quando na saída de fornecimento para ua casa. Então podem mediar que quantidade de energia vem da rede, e que quantidade de energia você está usando. E, com o tempo (e o nano revestimento de toda a casa), esta última irá cair tremendamente.
Penso ter passado uma boa impressão para eles e agora um grupo de cientistas da Armênia estão testando o MP no Instituto de Pesquisas deles, Nos próximos dias teremos então uma teleconferência com estes cientistas para lhes dar mais instruções de como fazer, e o que se pode fazer com o plasma.
Na Geórgia fizemos a mesma coisa, mas só conseguiram reunir três pessoas, sendo dois destes vice-ministros do governo. E eles ficaram realmente surpreendidos, como algo novo que nunca ouviram falar sobre. E eles ficaram de fazer os testes ASAP, também, pois foram recomendados diretamente pelo presidente da Armênia à fazê-los.
Então, posso dizer que, por experiência própria, dois outros governos já têm o MP em suas mãos.
KESHE: O que temos visto é um relatório de alguém que acabou de chegar desta jornada. Isto é para vocês verem como a tecnologia está sendo espalhada pelos buscadores de conhecimento (K.S.). Os K.S. são os que se preocupam em evoluir o ser humano. Apesar dos críticos de plantão que nos vêem como parasitas, há estas pessoas que servem a humanidade e que vão levar este conhecimento juntamente com um Kit de Gans, um MP e dois wattímetros.
A beleza da tecnologia é que aquilo que nós chamamos de Gans, o seu próprio corpo humano é feito disto, porque o corpo humano não é senão uma miragem das interações entre três distintos campos magnéticos, os quais produzem – entre outras coisas – a pele humana. Se eu colocar três distintas nano camadas de uma forma específica, aqui (ver figura), por acúmulo, isto poderá ser observado como “fisicalidade”, representada por esta linha pontilhada vermelha:
mas haverá tantas destas camadas subterrâneas que no final isto vai se parecer com a pele de vocês. Vai parecer tangível. Na verdade, a pele que você possui não é senão uma camada de nano materiais (externa) produzida pela interação entre três camadas da pele (mais profundas).
Então aquilo que você vê como sua própria pele,
e que você vai sentir como sendo a parte de pele do seu corpo, não é nada mais do que a interação, em seu corpo, de três distintas camadas
de nano materiais de diferentes espessuras,
Se você observar a estrutura do seu estômago, verá que são músculos da mesma estrutura do coração, e que, do mesmo modo, a estrutura de todos os órgãos do corpo humano surge da interação entre distintas camadas (de nano materiais)
as quais por si próprias vão dando manifestação (espessura) ao corpo físico do ser humano.
Aquilo que você agora chama de Gans, ou aquilo que denominamos nano materiais operando em uma condição de plasma, são componentes que fazem parte da estrutura do seu próprio corpo físico, são partes daquilo do qual você é feito. O corpo humano é feito de Gans, apenas acontece que o Gans no corpo humano é feito de um modo diferente, apresentando formas diferentes ou intercâmbios de forças que estiveram antes pré-programadas para estar em uma certa quantidade ou em determinado ponto do corpo, determinando a manifestação de músculos, tecidos, células e circulações de energias. É esta pré-programação (genética) que informa que todos nós devemos ter um pulmão no peito, e que a estrutura óssea é que determina a posição do pulmão, já que a posição das células pulmonares é principalmente decidida pelo formato e a estrutura geral dos ossos que as acolhem, como se os ossos encapsulassem ou restringissem os órgãos dentro daqueles pontos específicos.
Há diversos órgãos macios fora da caixa toráxica, em cavidades de espaço aberto. Uma das razões pela qual na seção abdominal (região de espaço aberto) a espécie humana é tão vulnerável a diferentes tipos de doenças, é porque esta está “aberta” à todos os campos vindos de todos os lugares. Quando se tem um espaço “aberto”, tudo pode ser absorvido, mas quando estão confinados em uma caixa toráxica, é você quem controla o que entra e o que não entra.
Você deve procurar entender que seu corpo é feito de Gans e que cada um de vocês é um enorme sistema mag-grav. Se você puder entender isto, você pode entender o que o Renan fez naquela menina com pneumonia: Com suas bobinas, o Renan introduziu no “sistema” dela um novo estado de Gans em um ambiente onde havia distúrbios, e a intenção era só equilibrar isto (restaurar o equilíbrio novamente). Então o que ocorreu foi que de doença passou para saúde.
Sim, este é o novo entendimento científico em medicina: não forçar, não dar comprimidos para combater a doença, mas sim criar (ou apresentar), no ponto da doença, uma condição equilibrada (o dispositivo mag-grav, caneta, etc.) de modo a criar um equilíbrio naquela região de modo que a energia recebida do dispositivo “compare” a sua intensidade com a do resto das células em seu ambiente e, caso haja diferenças, o dispositivo ou o material Gans que ele traz irá restabelecer o balanceamento integral daquela região, porque a partir de então esta se torna equilibrada com o resto de seu ambiente em derredor, em razão de o dispositivo ter dado de si mesmo a intensidade necessária e ter levado consigo a deficiência energética existente. Consequentemente, a doença irá desaparecer.
Daí você pode ver porque, para um monte de cientistas tradicionais, esta tecnologia atualmente tem sido vista como uma magia! Mas um monte de pessoas (como eu e você) que entendem como ela trabalha é que serão aqueles que irão levar estas ferramentas até a etapa seguinte: as aplicações!
A razão porque a tecnologia de plasma é baseada em uma estrutura pacífica é porque não se luta mais quando se aplica a tecnologia. Trabalhamos no sentido de acomodar. Você tem algo, eu necessito de algo, você pode ter o que eu tenho, e eu não lhe darei do que não necessita, e se você necessita de algo, então pode levar, e quando eu precisar de algo, eu levo aquilo de uma outra pessoa, porque tudo funciona em termos de promover o balanceamento entre os campos magnéticos (solta, dá, libera) e gravitacionais (pega, toma, puxa para si), e nada mais do que isto.
Já vimos o exemplo do Renan e estamos vendo com tantas outrs pessoas. Na agricultura temos visto isto no México, na China, etc. E em outras áreas de nossa atuação. No momento estamos focados em alcançar pessoas comuns, o público em geral, com tais ensinamentos, fazendo-os como que embaixadores da tecnologia, as quais irão levá-las aos Governos e aos Funcionários públicos, e estamos também indo direto aos Governos, como foi o caso do Armen na Armênia e na Geórgia.
Nós mostramos como eles fizeram tanto para o público quanto para os governos. E quando o público passar a exigir isso, os Governos vão ter que entregar-lhes.
Pudemos ver, com o Renan, como a produção é feita nas Filipinas. Esperamos ainda esta semana receber as primeiras unidades, que serão entregues em todo o mundo. E com estas aulas, nós abrimos o protótipo, mostramos à vocês as peças e como fabricá-las e mostraremos como montá-lo.
ARMEN:
O número de perguntas do público acumulou. São agora 47 e só uma responddida. Se levarmos 25 minutos para responder cada uma…
KESHE:
Então passemos logo para a pergunta 46.
ARMEN: Uma pergunta é se podemos usar chumbo para fazer Gans dele?
KESHE:
Claro, você pode usar qualquer coisa. A única coisa que você tem de cuidar é de ser capaz de criar aquela condição onde a estrutura atômica envolvida possa se tornar em estrutura Gans.
Para isso você tem de ser capaz de chegar à uma condição de campo magnético ou então à uma temperatura que seja capaz de provocar mudanças na matéria. Porque sem mudanças na matéria, você não produz Gans.
Esta é a estrutura atômica:
Você tem que ser capaz de produzir calor ou campo mag-grav, de modo que o materia possa ir por este caminho aqui:
Então você faz a estrutura atômica mudar com o calor. Você já fez isto com a alta temperatura da cáustica, e o mesmo que você fez com a cáustica você pode fazer usando fluxo de corrente elétrica (baixa voltagem) ou até mesmo com fluxos de plasma. Mas o que importa é você produzir uma condição em que esta área possa ser modificada:
Você pode fazer isto (também?) levando um pacote mais apertado (de plasma)
para uma condição de pacote mais aberto
[isto chama-se “abrir” o plasma]
Com o hidrogênio, por exemplo, a melhor forma de produzir um nano-Gans de hidrogênio é utilizando um plasma já existente. Agora que já se abriu para vocês a tecnologia do plasma de uma forma que você já é capaz de entender, qualquer um de vocês vai se tornar capaz de produzir um Gans de hidrogênio.
[o ensinamento para por aqui, não informando como se faz, mas tem a ver com o hidrogênio ser um pacote mais fácil de “abrir”]
Para fazer um Gans de aço inoxidável é muito mais difícil, devido à própria estrutura do aço inoxidável, mas mesmo assim você pode fazê-lo.
Produzir Gans de ouro não é tão difícil. Você pode fazê-lo criando em redor condição atmosférica certa, ou então criando a condição certa de plasma para que o Gans de ouro surja/materialize.
Como já alguns têm feito, você também pode fazer Gans de tomate, de pepino, e de qualquer outro material, sendo a maior dificuldade o fazer Gans de gases inertes. Estes são difícieis de fazer, mas ão impossíveis.
RICK: Pergunta 45. Ao visualizar a dupla de bobina vórtex do Renan (uma encaixa por fora da outra), o Estéfano observou que ele coloca o arame de volta para dentro da bobina interna partindo a partir da bobina externa, em seguida usa a magnética para alimentar de volta a gravitacional, dizendo então que deveria fazê-lo a partir da própria bobina gravitacional…
KESHE:
Depende sempre de qual vai ser o uso, pois há casos em que se você fizer desta maneira que o Estéfano está dizendo pode ser prejudicial ao resultado que você espera. Antes de fazer, você tem que entender para quê você usará aquele sistema. É para acrescentar energia? Ou é para manter a energia existente? Pois, quando você aplica em você a bobina magnética, você também toma/capta energia a partir do ambiente. E quando você aplica em você uma bobina gravitacional, o que você faz internamente é apoiar o / dar suporte ao sistema. E nisto há uma grande diferença. Apontar a bobina magnética através do centro seria mais ou menos como compartilhar comida (energia) com os outros, e apontar a gravitacional através do centro é usar a mesma “concentração de Intensidade”.
Para tipos distintos de doenças, usa-se formas diferentes de configurar isto, durante a produção dos dispositivos.
Saiba que estas molas e as combinações de nano revestimento delas e sobre elas vai se tornar uma coisa tão comum nos próximos anos que as pessoas vão saber facilmente dizer qual tipo para que serve, e o que isto faz.
O Alekz, por exemplo, está fazendo um pouco diferente, mas é o mesmo tipo de combinação de materiais. A diferneça é que ele faz com vegetais, e isto está resultando em algo como alimentos e remédios a base de plantas.
E se você segue nesta linha de diferenciais, o mais avançado agora é o desenvolvimento de alguns chineses, trabalhando através do controle dos pensamentos (para informar ao dispositivo o que se quer que ele faça: se deve dar, se deve recolher, se deve compartilhar energias ambientais, se deve impôr sua intensidade ao ambiente em distúrbio, etc.).
Nós temos ensinado (workshops de saúde) e continuaremos a ensinar mais ainda, sobre como usar reatores nas anormalidades, para trabalhar o emocional da pessoa, o lado psicológico.
ARMEN: Vários têm perguntado sobre a “sopa” de mix de Gans, como fazer, quanto vai de óxido de cobre. Qual a quantidade de um Gans e de outro Gans na “sopa”. Enfim, são perguntas sobre em qual proporção isso, e em qual quantidade aquilo…
KESHE:.
Não há proporção! Entendam isto, pois é uma coisa muito simples, que é daquelas coisas que se você entender, você será capaz de entender todo o resto: Tudo (que nós vemos) saiu algum dia daquela condição em que tudo estava disponível no momento de disponibilidade, da forma mais disponível possível (bastando acessar e pegar). Assim é com o plasma. Assim foi com a criação.
Responda a si próprio uma pergunta simples: quando a Terra foi formada, você acha que Deus estava do lado de fora medindo com uma régua, traçando com um compasso, o quanto disto ele ia colocar aqui e acolá, e quanto daquele outro ele iria colocar noutro lugar?Não! Eu não acho que Deus necessitasse de um laboratório de química e tabelas com equações para formar um laboratório biológico e formar a Terra e a vida sobre ela. E se Deus fez o universo sem uma escala então porque você necessita ter uma escala sempre em mãos?
Você tem que entender que o mundo do plasma é para ser compreendido, ao invés de para ser medido buscando com isto criar uma receita de bolo. No mundo do plasma você não trabalha por meio de escalas e fórmulas, mas por meio da INTENSIDADE com que vocês o alimentam com as emoções de vocês!
Um monte de vocês dizem que viram “aliens”, e até têm alguns que dizem que estiveram numa nave espacial e foram levados ao Espaço. Acaso alguns deles já ouviu falar de alienígenas fazendo química? Ou alguém viu uma escala de medidas em suas mãos?
O que você faz, o que eles fazem é: crie uma certa condição e veja aquilo que esta condição lhe fornece. E caso você se lembre de como você criou aquela condição, então, aquela forma de criar se tornará o padrão para poderem criar aquilo novamente.
Agora vamos falar de átomos.
Um simples átomo de oxigênio – ou aquilo que chamamos de célula plasmatica oxigênica, se produz pela aglomeraçao de 2, 4, 6, (e total) 8 prótons. Então fazemos outros 8 neutrôns, e compomos o nucleo, e então ele se carrega, passando a ter 8 elétrons girando em algum lugar em redor do núcleo.
Jamais pense que cada átomo de oxigênio traz consigo exatamente o mesmo campo mag-grav e a mesma INTENSIDADE (mag-grav) pois isto é impossível.
Observe agora a combinação de plasmas (pacotes) envolvidos em um simples átomo de hidrogênio ou mesmo de oxigênio. Atente para as combinações? Para o oxigênio é 16 plasmas no núcleo, 24 plasmas no total.
(para o hidrogênio é 1 plasma no núcleo e 2 plasmas no total).
Mas qual a diferença? A diferença é que eles são ligeiramente diferentes em termos de INTENSIDADE.
E também o plasma completo deste oxigênio também se comportará ligeiramente diferente em termos de Intensidade do que os outros três citados.
Digamos que este seja o elétron:
O elétron é um plasma com Intensidade diferente do resto dos plasmas do mesmo átomo.
[foi deste modo que Keshe tentou explicar no seu livro 1. Lá ele disse que também as diferentes moléculas que ele compõe vão ser plasmas de diferentes Intensidades.]
O problema com o mundo científico é que vocês generalizam tudo e todas as coisas são normatizadas e depois disso vocês não conseguem mais sair destas normatizações.
Em termos magnéticos e gravitacionais (mag-grav), nem mesmo dois átomos de oxigênio possuem Intensidades iguais. Portanto, não importa quais fórulas vocês escrevam, desta forma vocês nunca saberão o que ocorre dentro de ma célula plasmática de carbono com 6 plasmas no seu núcleo
e seis outros do lado de fora em sua zona de fronteira externa. Se este (átomo) vier a ter interações com este outro aqui,
o seu campo (mag-grav) original
já será diferente do que era antes da interação.
Assim, diferentemente do mundo científico atual, no mundo do plasma tudo decorre de se compreender o que está acontecendo no ambiente (criado, ou natural) e qual a condição que você deseja alcançar nesse ambiente. E esta é a razão porque não pode haver quaisquer fórmulas no mundo dos plasmas, pois um plasma é tratado com uma entidade viva que atrai e repulsa (com prevalência de Intensidades) quando interage com o ambiente de outros plasmas em redor. Ele fica dando e levando (fornecendo e capturando) até finalmente encontrar a sua própria posição e acomodar-se nela (por meio de balanceamento de Intensidades). E por enquanto não há tecnologia capaz de criar fórmulas para este tipo de envolvimentos.
Se você entender a tecnologia do plasma, você poderá dizer: “necessitamos de dois gramas de Gans para fazer isto de forma eficaz”, mas ao dizer isto você está entendendo que nestes dois gramas de Gans existem bilhões de plasmas (e de CmPs menores) (de, por exemplo, cobre),
e que cada átomo possui tantos elétrons e prótons, e que cada um deles, através de sua parede de elétrons e mag-grav está interagindo com um dado meio ambiente de outros átomos, ou com a atmosfera e/ou até mesmo ambientes sem qualquer atmosfera.
Então você precisa entender que é impossível trabalhar no mundo plasmático por meio de equações, fórmulas e mapas, pela simples razão de que não há dois plasmas que sejam exatamente iguais.
A realidade é esta.
Mas se você quiser fazer uma equação, irá ter que fazer um lote de pressupostos, e é esta é a razão pela qual a ciência antiga (atual/clássica) tem dado errado até agora, pois eles veem alguém fazendo isto (com plasma) e, querendo um diploma acadêmico, fazem um grande número de pressupostos/hipóteses por escrito para esfregar na cara dos pares de avaliadores, tentando explicar o que não tem explicação. E como resultado temos esta confusão científica. Vejam vocês quantos erros são cometidos em nome desta simplificação (parametrização/normatização) apenas para tentar validar seus absurdos aos pares de avaliadores. E já são tantos e tão acumulados, que não podemos mais fazer o ser humano pensar corretamente!
Basta olhar como surgiu esta fórmula mc2 = E (fórmula de Einstein),
e para quanta hipocrisia se tem construído com esta única fórmula. Vocês acaso sabem quantos pressupostos ridículos Einstein fez até se tornar famoso com esta equação?
Porque quando você coloca as coisas do seu jeito com o objetivo de provar o seu ponto de vista, você tem que fazer e trazer uma série de suposições, e esta fórmula é o maior exemplo disto, do fracasso da ciência, o maior de todos os fracassos, o de aceitar isto através da ciência. Porque Einstein nunca entendeu o que acontecia, então ele fez um monte de suposições que, se você realmente entender, você concordará comigo que são absurdas.
MASSA
Pelo nosso entendimento, a massa é uma massa de energias. Por estar sempre girando, e interagindo, a massa por si só, está contínuamente se modificando.
Em razão disto a massa jamais pode ser constante, pois ela só se manifesta com alguma massa em decorrência de interações de campos magnéticos.
VELOCIDADE DA LUZ
Além disso, Einstein assumiu que a velocidade da luz que ele calculou é a velocidade máxima para a luz. Isto não se aplica (não é verdadeiro).
[sem falar que o quadrado da velocidade da luz é um exorbitante número de 129.5 bilhões de Km/s, ou 360 mil velocidades da luz, ou em termos de anos-luz equivale a quase 1000 anos-luz por segundo].

 

ENERGIA
A energia é, basicamente, uma coleção de campos magnéticos e gravitacionais, e Einstein jamais compreendeu assim.
[os supercondutores estão aí para nos mostrar exatamente isto.]

PERGUNTA:
Mas Einstein compreendia em termos de deslocamento de fótons…
KESHE:
Não, ele jamais compreendeu. Mesmo este, só pode ser compreendido no real mundo do plasma, sem equações. Você tem que entender como o universo trabalha. Você tem que sentir o plasma. Você tem que fazer uma relação mental das várias interações envolvidas.
Se no mundo dos plasmas você, hipoteticamente, pudesse pedir “eu quero tantas gramas de algo”, lhe responderiam: você pode me dizer quantas moléculas se encontram em um grama de água? e em qual temperatura elas devem estar? e em qual força gravitacional quer determinar o seu peso? o que é uma grama? Quem está apto a medir estas coisas? Onde encontrar esta pessoa?
Se você quer trabalhar nesta condição universal que é o mundo dos plasmas, você tem que entendê-lo, para alcançar disto o que você quer, de acordo com o ambiente no qual você estiver operando.
Muito obrigado por mais esta sessão. Até a próxima aula.

AVANÇAR PARA A PARTE 1  DA AULA 4

RETORNAR À PARTE 3 DA AULA 3

COMEÇAR DO INÍCIO – AULA 1

Mehran Keshe Foundation KFSSI applications aplicações