Aula 3 – parte 2

 

RETORNAR À PARTE 1 DA AULA 3

AVANÇAR À PARTE 3 DA AULA 3

ESTA É A PARTE 2 DA AULA 3:

(postada em 22 de julho)

00b professor M.T.Keshe

TEMA PRINCIPAL

FAZER GANS, MIX DE GANS E
O SEGREDO DO MAIOR GRADIENTE

Vimos ontem (aula 3 – parte 1), com o Richard, as bobinas e outros materiais sendo nano revestidos.
204
Devido ao nano revestimento elas ficaram pretas numa primeira etapa e ele usou cáustica. E vimos que ele já estava na segunda fase, a da vaporização/sauna, que deve ser feito com a tampa fechada. O vídeo publicado pelo Armen, mostrando como se faz o nano revestimento, também ajudou/ajudará as pessoas a entender.
[Nota: Ambas são com tampa fechada, mas na primeira etapa os objetos são mergulhados na cáustica e na segunda fase, depois de 18 ou 24 horas, ficarão fora da cáustica, suspensos como em uma sauna, atacados apenas pelos vapores. Lembrar da polarização (seguir o sentido da energia) das bobinas, que deve ser feita com os cabos do multímetro no período anterior à segunda etapa]
Muitos não notaram, mas junto com as peças o Richard colocou também para nano revestir duas placas de cobre, que servirá para a conversão em Gans. Aqui na fábrica nós compramos recentemente uma tonelada de cobre, porque pretendemos fazer muitos tipos de Gans. Gans é gás em estado sólido e mais para o final desta aula há uma explicação suficiente do porque o chamamos assim.
Como todo kit de Gans, você necessitará de uma solução de sal em uma bacia, e então as placas, sendo uma nano revestida e outra não, e um fio elétrico simples (e geralmente com um LED no meio) para fazer a interconexão entre as placas.
Primeiramente sobre a solução de sal. Se você mora perdo do mar, use a água do mar, pois este é o melhor tipo de solução. Tente captar água do oceano e já terá sua solução salina. Quem está usando água do mar para fazer Gans está relatando ótimos, fantásticos, resultados. Você pode produzir grandes quantidades de material Gans quando você usa água do mar.
[Nota: mas você pode usar também combinações de sal grosso (não iodado) e água, numa proporção de 10 a 20%]
Para fazer o Gans de cobre-cobre, por exemplo, procure usar placas pois quem usa arames retirados de fios (mechas) notará que em pouco tempo o seu cobre desaparece. Para fazer Gans de cobre-cobre (não é o Gans de CO2, é outro), coloque na solução salina uma placa de cobre nano revestido pelo método do Armen e/ou Richard e outra não nano revestida. Uma parte das placas deve ficar para fora da água e coloque um fio elétrico comum [ e um LED no meio ] interligando as duas placas pela parte de cima delas.
[Nota: este método é válido para todos os tipos de Gans que se quer fazer, só mudando o tipo/elemento da placa que não é nano revestida.]
205
As camadas nano de uma placa vão criar um fluxo na água e questão de 1 dia no máximo os Gans vão começar a ser liberados na água salgada. As cores irão depender do material não revestido que você colocar junto com a placa nano revestida. Neste caso, cobre nano com cobre, a cor que você verá será provavelmetne verde. Você irá ver camadas verde na parte inferior da bacia. São nano camadas que, quando interagem, tornam-se da cor verde. E você pode vê-lo aqui, na cor verde:
206
É um verde claro que vem surgindo pelo processo, um tipo diferente de verde. Vejam:
207
E quando começar a engrossar no fundo da bacia torna-se como um sedimento, mais parecido com um gel flutuante, mas na verdade trata-se de uma estrutura atômica do (ou partículas de) plasma livre do cobre. É o cobre em um estado nano plasmático.
Existe um método para produzi-lo mais rapidamente. que é estando as placas na água salgada, conectá-las pelo fio e ligar este fio [na região do Led] em 1,5V-0.5A. Surgirão algumas bolhas.
208
O que você está prestes a coletar da bacia é algo muito verde. Pela passagem de corrente entre as placas você vai conseguir muito Gans. A água na bacia e o Gans se acumulando na parte inferior da água.
Mas se você conectar uma voltagem de 2,5V 1.5A o Gans vai ficar marrom, não verde. Ainda será um Gans de cobre, mas você fez o sistema produzir tão rápido que vira óxido de cobre de cor marrom, ao invés de Gans puro de CuO2, cor verde.
210
E se você aumentar a voltagem para algo anda mais elevado, ele vai ficar preto. Mas ainda assim é de teor de corbre, porém numa combinação diferente. Mesmo o kit que produz o material de cor marrom, se deixado muito tempo, tende a ficar/produzir preto depois de alguns dias, porque entra em nível de oxidação. Isso é normal.
209
Então use voltagem e amperagem baixa, e será útil para produzir Gans mais rápido. E se você usa dentro do líquido salgado uma placa de cobre nano revestida e outra de zinco, você produzirá Gans de CO2, o qual é de cor branca. Mas não acelere o processo do CO2 com voltagem.
[Nota: Neste caso, ao invés de voltagem, recomenda-se uma bombinha d’água para oxigenar a água salgada. E não esquecer do LED.]
211
Com o cobre, se você conectá-lo a uma placa e uma corrente, então é de óxido de cobre. Se é uma taxa elevada, é um de cobre em si um estado GANS – é a cor de cobre. Se você aumentar a taxa muito elevada ele vai preto. Mas ainda assim, é teor de cobre, mas em uma combinação diferente. Então, você terá três cores diferentes, mas no final é tudo material útil para um composto. Você vai entender do que estou falando em seguida, pois quando você vir a usar no seu sistema esses materiais que você está produzindo, a relação de potência do plasma entrará em jogo.

POTÊNCIAS DO PLASMA

O cobre é cinquenta e nove (59) ou sessenta (60), algo próximo disso. Mas se você o oxidar (CuO2), ele passa de 59 para 59 + 36, que lhe dá 95. É uma boa diferença de potência.
213
Se você quiser entender melhor, lembre um pouco do ensinamento das primeiras aulas. Com o cobre normal você tem esse rolo de papel higiénico (59) mas você quer chegar a este rolo de papel higiênico (mais de 100, em termos de relação de potência do plasma)..
214
Então, produzindo Gans, você obtém um plasma mais forte e um plasma mais forte é o que você está realmente procurando obter. Portanto, tente fazê-lo de forma lenta, permita que ele entre em oxidação, e obtenha dele Gans de óxido de cobre.
Eu costumo dizer que se você tiver um kit de CO2 ou de CuO2, e você colocar um pedaço de ferro dentro dele, você começará a produzir sangue, hemoglobina. Não use hemoglobina ou material vermelho em seu sistema. Eu vou mostrar isso com um kit de (…?). Veja:
215
E no topo desta bacia apareceu uma camada de gordura. Isto é o que eu disse a você ontem. se você ver esta gordura na parte superior, isso é o que se torna em óleo mais tarde. Por causa da interação com o ferro, o pedaço de ferro colocado dentro da bacia, torna-se hemoglobina, e em seguida torna-se em vida como a de seres humanos e animais de sangue vermelho. Se você ver uma camada de gordura por cima, reflita que é desta forma que a vida começou neste planeta. Zinco é a parte emocional do animal e do homem, e o cobre é a parte física. Então, quando você colocar ferro nele, torna-se hemoglobina vermelho, e é assim que a vida se iniciou. E quando lhes expliquei em aula anterior que o petróleo nunca vai terminar, me referi a esta gordura sobre a bacia do Kit de CO2, pois esta gordura é o estágio inicial do óleo que é o início da indústria do petróleo.
Normalmente se vê alguma gordura em algum experimento. É normal, não é raro. As vezes uns kits de CO2 com zinco geram óxido de cobre. E se você adicionar ferro à esta gordura, você tem aminoácido e no fundo do recipiente você vai encontrar sangue. Veja aqui no fundo deste pote. É vermelho, e em pouca quantidade. Você vê a vermelhidão do sangue. É assim que a vida começou. Veja o fundo do pote a cor vermelha:
216
Com este método, usando ferro, é possível produzir litros de sangue, pois quando você adiciona ferro a um aminoácido, isso produz a hemoglobina. Portanto, agora nós somos capazes de entender a essência da criação da vida, como esta tem sido desenvolvida.

LAVAR OS GANS:

Uma coisa importante sobre os Gans produzidos é que você tem que lavá-los para tirar fora todo o sal. Depois de estar bem grosso no fundo da bacia, você extrai o Gans do fundo com uma seringa grande [sem usar a parte da agulha] e depois de extrair você tem que lavar para retirar o sal, porque você criou estes materiais em condições salgadas. Então lave o conteúdo gelatinoso com água destilada umas três vezes pelo menos, deixando repousar após cada lavada. Então, na última lavada, retire fora a água da parte superior e você terá puro Gans.

O MIX DE GANS:

Mas, em seu sistema, você deve tentar obter Gans de tudo que puder (veja dicas mais no final), porque você necessita amplificar a potência do seu sistema, e para isso é necessário dois tipos de Mix de Gans, um composto de Ganses secos, para um macerado a ser usado no centro do conjunto de bobinas, e um outro composto contendo grande quantidade de Ganses em estado gelatinoso, uma massa pastosa e líquida, como um sopa de caldo grosso mas não tão demasiadamente espesso. E todos os dois tipos, como lembramos antes, já destituídos de toda sua salinidade.
217
Em dois processos de secagem, um parcial (massa pastosa) e um total (macerado). Para secar, seja qual for o processo, coloque os Gans sob um aquecedor, o que pode levar uma eternidade, ou com uma lâmpada, especialmente aquelas que esquentam muito, e eles podem ser secos em duas horas.
Para os Gans de massa pastosa, não os deixe secar totalmente, mas para os do centro, você pode deixar secar até ficar como um guisado, sem ficarem extremamente poeirentos.

BANHO DAS BOBINAS COM O MIX DE GANS PASTOSO:

Depois que você aprontou a produção das molas que comporão o seu conjunto de bobinas para o MP, e já concluiu o processo de nano revestimento delas com cáustica (método do Richard e do Armen), sem esquecer, entre a primeira e a segunda etapa de nano revestimentos, de polarizar as bobinas dando-lhes a direção da energia, então coloque o mix de Gans líquido e pastoso num recipiente espaçoso e banhe suas molas nano revestidas neste mix de Gans.
Agite bem sua massa gelatinosa para que os Gans se misturem, coloque a no recipiente e então calmamente vá colocando nele cada “anel” (mola dobrada em anel) dentro do líquido até sentar no fundo. Então agite lentamente ou incline totalmente o recipiente para que os Gans do caldo cubram totalmente as molas nano revestidas. Em seguida, retire cada mola e deixe repousar, de preferência penduradas pelas pontas, até secar totalmente. As molas não estarão mais pretas mas terão desta vez a cor da sua sopa de Gans.
Você necessita desta operação. A parte mais importante de toda a operação é esta “sopa” na qual você mergulha as bobinas. Você não ganha nada se você montar seu MP com as bobinas sem passar por este “mergulho”, pois não funcionaria. Mas ao mergulhá-las na sopa de vários Gans, você anexou ao sistema uma fonte solar, uma unidade de energia.
O segredo é “colocar os Gans desta sopa de volta para dentro da mola, por sobre o nano revestimento dela, pois o objetivo é tornar os Gans presentes nesta sopa numa oferta de campos magnéticos e gravitacionais – duradoura e cada vez mais constante de “energia do plasma” – para abastecer (de forma contínua) as camadas supercondutoras das molas nano revestidas.
218
Com os nano revestimentos você produziu as camadas supercondutoras sobre o cobre,
219
e agora você traz a “sopa” de Gans por cima dela, pois você inseriu as molas dentro dum líquido repleto de vários tipos de Gans.
.
220
Por este processo, você permite que os Gans se juntem a este material nano revestido e preencha suas camadas supercondutoras.
221
A junção de ambos permitirá levar a energia do plasma
222
de volta para o ambiente de supercondução que se apresenta em um estado de matéria
223
O segredo está em tornar este fluxo tão suficientente integrado e intenso que o cobre das bobinas possa passar a funcionar como uma alimentação de corrente alternada (AC).
224
Resumo do processo:
225
Esse processo tem sido parte do avanço da tecnologia, e com as explicações fornecidas queremos que você consiga entender de forma simples como tudo funciona. [Lembre das aulas anteriores, sobre a fonte de plasma para o sistema].
Pois se você simplesmente juntasse duas molas nano revestidas, você nada obteria. Uma vez que você “coloca-as juntas através da sopa de Gans” você então as deixa secar bem. Se estas bobinas não estiverem totalmente secas e houver moléculas de água nelas, quando você ligar o MP e deixar passsar energia da corrente elétrica através delas, a água evapora e elas explodem. Então, após o banho (revestimento com Gans), deixe-as secar totalmente, mesmo que tenha que esperar dois dias até que sequem bem. Secarão corretamente se permanecerem penduradas a uma certa altura.
Com estas bobinas já revestidas de Gans, elas estão prontas para o passo seguinte que é as camadas supercondutoras anteriormente criadas começarem a absorver a energia do plasma.
225
No futuro, quando desenvolvermos a tecnologia ainda mais, vamos ter processos que vão fixar ainda mais as camadas nano sobre o metal, de modo que as camadas se mantenham mais firmes e resistam melhor a todo tipo de atrito físico, permanecendo ligadas ao metal em qualquer circunstância.
[Nota: é aqui que entra o dilema: deixar o conjunto de bobinas (uma por dentro da outra) e o arame passando por dentro, como “pronto” antes do banho no mix de Gans, inserir um no outro durante o banho (o que é inconveniente, por se estar lidando com líquidos e sólidos), ou banhar cada mola independentemente no mix de Gans, para depois inserir uma dentro da outra num conjunto.]
226
Se você tirá-lo da maneira errada (?), então você destrói a base, as camadas, e o seu nano revestimento desaparece, porque está conectado ao material. Tem que ser feito de maneira específica, de modo que você possa literalmente esvaziar este (?) tubo de todo o seu conteúdo.
227
E então o que você vai conseguir é um “sistema oco”,
228
sistema oco de fluxo supercondutor de campo magnético, um fluxo de plasma sistemático.
Este tem sido o sonho de especialistas em comunicação.
Porque, agora, o que acontece, não se esqueça, cada um deles (tubo? mola?) é um plasma.
229
Se você olhar para a parte inferior deste tubo,
230
o que você tem é um belo tubo verde de cobre. 
Este tubo já tem o seu próprio nano revestimento.
232
Então (com o banho no mix de Gans?) você já tem nele também os GANS …
233
Então agora você tem isso:
234
“Quando esvaziar isto … quando se esvaziar este cobre – que agora é sólido -“
235
“..do (seu) estado de matéria, ENTÃO … “
Relembrem comigo: era um arame de cobre e você o nano revestiu, e por esta razão ele ficou preto. Então, em seguida, você adicionou-lhe os GANS – grossas camadas de GANS foram anexas ao nano revestimento do cobre. Deverão ficar tal como um cal por cima das bobinas ou arames nano revestidas. Você sabe aquela técnica do giz? Você giz na água e então você espalha como uma tinta pelas janelas para que ninguém possa enxergar de fora o que está lá dentro. É isto que eu me refiro quando falo de ‘tal como um cal”. A espessura tem de ser aquela mesma, de modo que as substância (Gans) consigam aderir ao nano material.
Não se esqueça que no momento do banho com o mix de Gans, os Ganses estarão tentando repelir deles próprios o nano material com o qual foram colocados em contato. Existe um campo magnético segurando/prendendo (mag-grav do Gans?) e eles (Gans?) têm que criar um lugar/ponto de contato aonde eles possam se agarrar.
236
Assim, a beleza disto está em.. se tornarmos ele (o cobre?) vazio, ôco…  Se pudéssemos visualizar o centro como ôco, veja o que acontece:
237
Trata-se de um ambiente central (parte imaginada como ôca) que se encontra cercada por plasmas,
238
Trata-se de uma região central que se apresenta com uma condição puramente supercondutora de plasmas, sem qualquer estado de matéria.
239
Este ôco (das molas) é melhor supercondutor do que qualquer fibra de vidro! [referindo-se aos cabos de fibra ótica] Informações viajando em tempo real e sem nenhuma perda!
Seu sistema (mola) agora ficou extremamente potente pois se trata de um plasma totalmente magnético (a – camada de Gans supridores de plasma) sobrepondo um outro plasma também totalmente magnético (b – camadas nano supercondutoras) e ambos rodeando uma zona central livre (c – imaginada como ôca).
240
Uma zona central (ultra condutora?) rodeada de plasmas! Este tem sido o sonho dos físicos no mundo material: um sistema supercondutor de baixíssimo custo de fabricação. Porque, se você tomar (este “método de tubo ôco” você pode transferir informações em tempo real entre qualquer lugar do planeta.
E se você entender como isso funciona e fizer o procedimento adequado, você pode alcançar o transporte de comunicações em tempo real entre qualquer parte do universo! Porque nada se perde neste tipo de transporte. Isso é para você perceber até que ponto este processo e seus desenvolvimentos podem permitir um grande avanço ainda nas tecnologias de comunicações.
Porque você também tem um tubo e seu tubo é uma mola nano revestida de (tunelamento) supercondutor e sobre-revestida por Ganses. E você pode notar (pelo menos até agora) que não há nada no centro desta mola, pois está ôca, vazia.

X = ZONA OCA E SUPERCONDUTORA DA BOBINA MAIS INTERNA DE UM CONJUNTO

O SENTIDO DO FLUXO ENERGÉTICO DA BOBINA 

Sua zona central é transporte em supercondução de qualquer coisa que você necessite (transportar), inclusive da energia que você pretenda atravessar por dentro dela. E tudo que você necessita fazer para a (plena) aplicação física deste princípio é colocar UM REVESTIMENTO DE PLÁSTICO SOBRE ELE (sobre o ôco? ou dentro do ôco? ou sobre a mola/bobina?). Pode ser qualquer tipo de plástico que você queira colocar. E então este (ôco? bobina?) se tornará um milhão de vezes mais eficaz no transporte de informações do que qualquer fibra de vidro, em tempo real, e sem perdas, no momento em que isto for usado para comunicações.
E estou aqui para lhe dizer que você pode fazer a mesma coisa com as “suas energias”. Você pode transportar, e em tempo real, megawatts e mesmo gigawatts (de energia) através destes pequenos buracos estreitos (do ôco das molas), pois eles são supercondutores reais, pois (a zona para o transporte) está totalmente protegida por um campo magnético no plasma. Não haverá perdas, porque as duas camadas (a) e (b) irão proteger (o que será transportado por dentro dela, da mola).
242
Depois destas explicações você já tem condições de entender melhor qual é o próximo passo a dar em sua construção do MP: molas que passaram por um banho de Gans tem um aspecto externo muito empoeirado como se estivessem impregnadas de cal, tal como uma poeira muito fina e colorida. Esta poeira é o que chamamos de Gans, Gans de diversos tipos. Sem esta impregnação externa você descobriria que o sistema não funciona, pois não poderia trabalhar, já que não há combustível para alimentar o sistema, pois o Gans, a impregnação de Gans em torno das molas é sua fonte de alimentação. Os Gans são plasma e os plasmas são os campos de petróleo universais, de onde se pode tirar toda energia necessária para tudo que se queira usar. Este é o avanço da tecnologia. São partes de um sistema integrado e sem uma parte o sistema não funciona. Nenhum sistema de plasma não pode trabalhar sem seu combustível, e seu combustível é o plasma. E os Gans são fontes primárias de plasma.
Os dispositivos tem que ser – num banho líquido – completamente saturados com este pó, e então deixados secar. Se você achar que não fez quantidade suficiente para uma mistura adequada, faça mais. Não há pressa, já que o ser humano vem esperando por isso, por essa tecnologia, durante milhões de anos. Deixe levar o tempo que necessite levar. Um ou dois dias a mais não vai fazer muita diferença, mas procure fazê-lo corretamente.
243
Faça muitos tipos diferentes de GANS e preste atenção aos gradientes e diferenças de massa entre eles. Procure agora entender porque eu coloquei essa fórmula no topo do quadro:
244
Aqui é noventa e cinco (95)
245
95 é para ser a intensidade que se conseguiu obter do campo magnético plasmático (em torno do arame).
Já aqui se tem cinquenta e nove (59).
246
Estabeleça o gradiente da intensidade do campo (campo magnético plasmático), que define a (quantidade/ intensidade) da energia que flui para dentro.
247
Você não vai conseguir um resultado assim tão bom se voê acabou de nano revestir o cobre, porque vai ser apenas 59 contra 59 (o cobre é 59). Até aí talvez você obtenha um pouco de oxidação e não muito mais do que isso. 
Mas quando você tiver passado esse cobre por um banho com uma mistura, uma composição aquosa de vários tipos de Gans, então este gradiente vai para duzentos. Se você conseguir um gradiente de 250 ou mais, você obterá uma fonte de fornecimento de energia muito melhor, porque então terá a inteira energia do plasma abastecendo seu sistema. .
248
Alguns de vocês dizem: “Eu fiz o sistema e ele não funcionou. Havia algo de errado com ele.” E eu lhe digo: é porque você não entendeu ainda o intenso trabalho do plasma, segundo o princípio de que você necessia obter primeiro um ótimo “gradiente de plasma”.
Veja bem, não há diferença entre dois plasmas. Temos aqui dois plasmas:
249
A única diferença é o volume de campos, a intensidade do fluxo que dele extravasa. Esta é a única diferença.
Então, você se decidiu a trabalhar com isso aqui…
143
e, em seguida, você se culpa porque o seu sistema não funciona. Na verdade, não funciona porque você não conseguiu acessar/configurar o “pote grande”.
Aumentar o gradiente, adicionar intensidade ao sistema, dependerá de você conseguIr fazer fornecimentos de plasma (Gans) a partir de elementos mais pesados. Se você puder sobrepor as camadas supercondutoras do cobre com Gans de elementos mais pesados, você terá um gradiente maior.
Não estou falando para usar urânio, plutônio, mas numa intensidade perto disso, uma intensidade equivalente mas não perigosa. Apenas lembre que vocês próprios, seus corpos, são as centrais nucleares mais eficazes que existem. Seu corpo é um produtor de energia muito poderoso.
Então, procurem olhar para os metais mais pesados que você puder encontrar [ cuidado com o chumbo!] e busque nano-revesti-los (uma placa sim e outra não) e disto extrair os Gans para usar em sua sopa e no centro dos conjuntos de bobinas.
251
Estamos aprendendo a nano revestir materiais usando altas temperaturas. É um método um pouco diferente da cáustica. Nele é necessário altas temperaturas para criar o nano revestimento do cobre.
Então, faça nano revestimentos e depois revestimentos com Gans em seus cobres, de modo que você possa obter de 59 até 200 ou 250 de gradiente (diferença de potencial) do plasma – quanto mais, melhor – e quando tiver conseguido isso você estará de posse do sistema mais poderoso.
252
É desta forma que o sistema inteiro (MP) vai ser alimentado de plasma, quando passarmos para as fases posteriores de sua montagem. Portanto, a sua primeira tarefa foi fazer as bobinas; a segunda tarefa é revesti-las com nano material para formar um fluxo supercondutor. E a terceira etapa é revestir isso com gradientes de Gans.

O QUE É GANS:

Vamos agora procurar entender o que é Gans. Chamamos de Gans à gases no estado nano. A razão deste nome é porque você evaporou (o metal) até ao ponto do estado gasoso da matéria
253
com a singularidade de um nano (tamanho?) e então, em questão de instantes, ele (este estado gasoso) manifestou-se a si próprio em um (quarto estado da matéria, que é o) estado de plasma, e em instantes tornou-se a si próprio em uma (nova) estrutura atômica de si mesmo, manifestando-se como Gans. Por isso o termo Gases em Estado Nano, de onde vem toda a tecnologia. Chamamo-lo de Gans porque
254
quando o aquecemos o metal, ele não chega a se derreter. Nesta situação, as partículas escapam dele de forma tão rápida em uma condição de vapor (estado vaporizado de gás) por sobre a camada superior (do cobre ou qualquer metal sob revestimento), mas o que acontece é que logo o campo magnético (gravitacional) do próprio cobre puxa essas partículas de volta e, em seguida, pelo motivo de estarem separadas de sua origem e em um estado de um gás, em seguida ele manifesta a si mesmo em tamanho nano como um material sólido o qual é então depositado sobre o metal em nano partículas, É desta forma que este (tipo de) Gans é produzido, e por isso a palavra Gans significa “Gás (ou vapor metálico) que se manifestou a si próprio em estado sólido e tamanho nano”
Então, a lição de casa de hoje para vocês é esta: buscar fazer o máximo de Gans possível e o máximo de tipos de Gans possivel de forma que, quando você, pelo método de banho, colocar uma camada de mix de Gans sobre o material nano revestido das bobinas, possa ser alcançado com isto a maior diferença que você puder obter entre o interior (a parte central, ôca da bobina) e o mais alto gradiente que puder obter no exterior (da bobina). E quando tiverem obtido isto, este gradiente, esta intensidade (em qualquer objeto nano revestido com que lidarem), vocês estarão então diante dos melhores sistemas de energia que vocês jamais pensaram ser capazes de produzir.

AVANÇAR À PARTE 3 DA AULA 3

RETORNAR À  PARTE 1 DA AULA 3

COMEÇAR DO INÍCIO – AULA 1

Mehran Keshe Foundation KFSSI applications aplicações