Geração de eletricidade

Soluções para energia permitindo produzir centenas de watts em reatores estáticos, e 3-4 kW num reator dinâmico, 10 kW num outro tipo de reator dinâmico e 1 MW numa configuração de vários reatores dinâmicos interconectados, e 10 mW numa configuração de reatores de grandes proporções, ou para uso no espaço sideral:

 

.A tecnologia para produzir eletricidade útil a partir de reatores dinâmicos foi idealizada e foi parcialmente delineada nas patentes de Keshe para reatores e mini-reatores.

Pelo método de reatores dinâmicos, esféricos e sob vácuo, usando gases nobres e um elemento ativador que pode conter radioatividade a níveis baixos, ou novos materiais como GaNS, se pretende produzir eletricidade para sustentar os equipamentos básicos de uma residência.

Três reatores dinâmicos poderiam suprir toda a necessidade energética de uma pequena empresa, e uma configuração de vários reatores interconectados poderia suprir a necessidade energética diária de uma indústria.

A nível municipal, ou para aplicações no espaço sideral, sistemas maiores com 5 metros ou mais de diâmetro, ou numa configuração de dezenas de reatores dinâmicos menores, poderia gerar até 1 MW (megawatt) de eletricidade simultaneamente em corrente contínua e corrente alternada, para suprir com eletricidade uma região inteira, um município pequeno ou um bairro.

 

Soluções menores para energia permitindo produzir energia especificamente para uma iluminar uma lâmpada ou acionar um motor de vários cavalos de força a partir de um mini-reator portátil:

 

A segunda patente registrada de Keshe fala sobre como produzir pequenos reatores para usos menores e bem específicos, como iluminar uma lâmpada, ou fazer funcionar um motor ou uma ferramenta baseada em motor giratório.

No momento atual, são feitos também estudos sobre a construção de lanterna sem pilhas. Com base na conhecida lanterna que carrega pilhas ou um capacitor mediante agitação de uma bobina de forma semelhante a um pistom de automóvel, Keshe propõe adaptar este dispositivo, colocando em lugar da bobina um dispositivo a base de arames nano-revestidos que são capazes de produzir eletricidade através de campos magnéticos captados de seu ambiente.

O experimento mais básico de arame nano-revestido (geralmente com grafeno) tem demonstrado produzir, sem origem aparente, eletricidade na faixa dos 600 milivolts a 1,2 volts, dependendo do tipo e quantidade de camadas do revestimento, e na faixa dos 60 a 150 miliwatts.

O aperfeiçoamento destas técnicas – já em andamento – ou a acumulação de muitos arames com estas propriedades e ligados em série ou a capacitores tem levado os pesquisadores a planejarem Kits de produção de 12 volts para uso doméstico, o que pode se tornar uma realidade em breve.

Uma das características dos arames ou placas nano-revestidos, seja com grafeno ou com GaNS, é que eles se carregam por um período e noutro período descarregam, isto é, transmitem a energia acumulada a partir do ambiente no estágio anterior. Assim sendo, soluções envolvendo vários arames simultâneamente a um controle de carga e potência podem servir para criar uma lanterna sem pilhas, ou uma bateria sem fluido, ou um kit de gerador de 12 volts.

menu

 

Mehran Keshe Foundation KFSSI applications aplicações